Justiça diz ‘não haver indícios’ que legitimem prisão temporária de dono de Porsche acusado de matar motorista de app

Fernando Sastre de Andrade Filho, de 24 anos
Fernando Sastre de Andrade Filho, de 24 anos — Foto: Reprodução

A Justiça de São Paulo alega “não haver indícios” que justifiquem a decretação de prisão preventiva contra o empresário Fernando Sastre de Andrade Filho, de 24 anos, que fugiu após colidir com seu Porsche contra o carro do motorista por aplicativo Ornaldo da Silva Viana, de 52 anos, no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo. Ornaldo morreu no local. Ao GLOBO, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmou que a polícia realiza, agora, análise de imagens de câmeras de segurança e elaboração de laudos periciais.

Indiciado por homicídio doloso, lesão corporal e fuga, Fernando se apresentou na 30ª Delegacia de Polícia por volta das 16h desta segunda-feira. Ele era procurado pelas autoridades desde que deixou o local do acidente acompanhado pela mãe, no domingo.

O Porsche 911 Carrera GTS dirigido por Fernando não tinha seguro, conforme apurou O GLOBO. O incidente aconteceu na madrugada deste domingo, na Avenida Salim Farah Maluf,

Nascido em família de empresários do mercado imobiliário e de construção, Fernando deixou o local da batida com a mãe, e não foi mais encontrado. O carro dirigido pelo estudante de engenharia custa mais de R$ 1 milhão, e o IPVA do modelo é de quase R$ 34 mil.

Fernando Filho nasceu em 1999, é estudante de engenharia na Universidade Presbiteriana Mackenzie e sócio de dois empreendimentos: a FF Andrade Prestação de Serviços Administrativos, fundada em 2018, quando tinha 18 anos, e a construtora Sastre Empreendimento Imobiliário, fundada em 2020, que atua em construção de prédios residenciais e loteamento de imóveis.

O pai de Fernando Filho, identificado como Fernando Sastre de Andrade, também é sócio em pelo menos outros três empreendimentos do ramo de construção, como a loja de materiais Irmãos Andrade, localizada no Parque Paineiras, e o Comércio de Ferro e Material Para Construção F. Andrade.

O acidente aconteceu depois das 2h da madrugada do domingo de Páscoa. Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, agentes da Polícia Militar foram até o local para auxiliar no resgate das vítimas e preservar o local. Testemunhas afirmaram à TV Globo que Fernando Sastre Filho dirigia acima de 50 km/h, velocidade máxima permitida na via.

No local, além de Ornaldo, que morreu na hora, Fernando e outro passageiro também apresentavam ferimentos. O empresário foi socorrido pela mãe, identificada como Daniela Cristina de Medeiros Andrade, de 45 anos. A mulher disse aos policiais que levaria o filho a uma unidade hospitalar na Zona Sul.

Ainda de acordo com informações da SSP, durante a apuração da ocorrência, agentes verificaram que Fernando seria o responsável pelo acidente. Foram, então, até o hospital para onde a mãe contou que o levaria, mas não os encontraram.

Os policiais também foram até a residência do empresário, e não o acharam. Desse modo, a ocorrência foi registrada como homicídio culposo, lesão corporal culposa na direção de veículo automotor e fuga de local de acidente.

O caso é investigado pelo 30º DP. Quanto à liberação de Fernando Filho e da mãe do local de acidente por parte de agentes da Polícia Militar, a corporação diz que vai analisar “a dinâmica da ocorrência para identificar eventual erro de procedimento operacional”.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.