Intervenção não tem relação com cotação do dólar, diz Campos Neto

Roberto Campos Neto
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, disse que o leilão adicional de 20.000 contratos de swap cambial não tem relação com o patamar do dólar. Segundo ele, o câmbio é flutuante e a ação foi tomada para corrigir distorções no mercado.

Na 3ª feira (2.abr.2024), a autoridade monetária interferiu pela 1ª vez no câmbio na atual gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Na véspera, o dólar comercial havia fechado a R$ 5,06. Nesta 4ª feira (3.abr.2024), a moeda norte-americana opera em alta de 0,38%, aos R$ 5,08, na cotação de 11h43.

Campos Neto participou nesta 4ª feira (3.abr.2024) do evento Bradesco BBI Brazil Investment Forum. Eis a íntegra da apresentação (PDF – 3 MB).

“A nossa intervenção não teve nada a ver com o movimento do câmbio. A gente sempre diz que o câmbio é flutuante. É importante o câmbio ser flutuante, porque funciona com um elemento que absorve os choques e redistribui os recursos de forma mais eficiente”, declarou.

O presidente do BC afirmou que a autoridade monetária fará intervenções quando houver “disfuncionalidades da moeda”.“A gente tem uma situação de reserva comparada com outros países da América Latina e outros países do mundo emergente”, declarou.

No caso específico de 3ª feira (2.abr.2024), a disfuncionalidade seria a “demanda por instrumentos cambiais resultados dos efeitos do resgate de NTN-A3”, que é um título do Tesouro Nacional, em 15 abril deste ano.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.