Governo prorroga consulta pública sobre leilão de reserva de energia

termeletrica
Leilão negociará capacidade de usinas para suprir o sistema elétrico; na imagem, termelétrica da Petrobras

O MME (Ministério de Minas e Energia) prorrogou por mais 30 dias a consulta pública sobre o leilão de reserva de energia por capacidade previsto para agosto. O prazo para envio de contribuições para as diretrizes do certame agora vai até 26 de abril.

O governo abriu em 8 de março a consulta pública sobre o leilão. A disputa vai contratar potência de usinas de produção novas e existentes com o objetivo de garantir o fornecimento de energia elétrica no país. As contribuições podem ser enviadas no site do MME.

Serão negociados só 4 tipos de empreendimentos:

As regras para as baterias ainda não foram definidas. Inicialmente, o leilão só abarcaria térmicas e hidrelétricas. Porém, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou que serão incluídos os sistemas de baterias. A medida atende à reivindicação de empresas do setor que pediram a inclusão do modelo no certame.

Não foi divulgado o montante de potência que o governo pretende contratar por categoria ou no leilão. O edital final e as minutas dos contratos deverão ser elaborados pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que promoverá o leilão.

O leilão de reserva de capacidade visa a garantir que o sistema elétrico nacional consiga suprir o país em um momento de crescente inserção de fontes intermitentes na matriz elétrica, como as usinas eólicas e solares, que têm produção altamente variável conforme o tempo e não podem ser despachadas pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). 

Quando a produção dessas fontes renováveis cai, como durante a noite no caso das usinas solares, o ONS precisa acionar as termelétricas e hidrelétricas flexíveis para atender o sistema e garantir que não haja falta de abastecimento.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.