Governo do RN alcança marca de R$ 93,5 milhões investidos na economia do RN via AGN

O Governo do RN alcançou, via Agência de Fomento do RN, a marca de R$ 93,5 milhões investidos, por meio de financiamento, em empreendedores do Rio Grande do Norte entre janeiro de 2019 e o início de maio de 2022. Ao todo, 21.480 empreendimentos dos mais diversos portes, entre formais e informais, foram atendidos com a política do Governo do Estado de estímulo ao empreendedorismo através do crédito executada pela instituição financeira de desenvolvimento.

Em pouco mais de quatro meses do início do ano, a AGN já alcançou 2.480 empreendedores com o apoio que chega a R$ 12,4 milhões, com destaque para os negócios ligados à pesca e a agricultura familiar, que até a atual gestão estadual, não eram contemplados pela política estadual de crédito.

“É uma marca expressiva que alcançamos graças ao trabalho focado na democratização do crédito, na facilitação do acesso aos recursos por meio da presença constante da Agência de Fomento nos municípios e à dedicação dos colaboradores da instituição que têm se desdobrado para garantir o cumprimento da função social da AGN em ser um motor do desenvolvimento por meio dos empreendedores e do empreendedorismo”, afirmou Edivane Vilar, diretora-presidente da Agência de Fomento.

No primeiro ano, foram R$ 18,4 milhões investidos, saltando no ano seguinte para R$ 28,5 milhões e alcançando em 2021 a marca histórica de R$ 34,2 milhões para um total de 6.908 empreendedores atendidos em todo o território norte-rio-grandense.

A performance também é demonstrada pela margem de clientes que buscam a instituição e conseguiram crédito no ano passado, por exemplo. Mais de 51,5% dos empreendedores que buscaram a AGN conseguiram financiamento, número supera em quase três vezes média nacional. O desempenho geral na concessão de financiamentos advém de uma série de medidas tomadas pela direção executiva da instituição.

Ao longo dos últimos três anos, a instituição tem ampliado sua atuação e encerrou 2021 com atendimento por meio de linhas diversas aos setores da Agricultura Familiar, Artesanato, Comércio, Cultura, Economia Solidária, Indústria, Juventude Empreendedora, Pesca, Serviços, Turismo.