Federado ao PSDB, Cidadania do RN diz que partido não vota em bolsonarista

O presidente do Cidadania no Rio Grande do Norte, o ex-deputado estadual Wober Júnior, disse que o partido no estado saiu prejudicado na federação com o PSDB. Em entrevista ao Jornal da Manhã desta terça-feira (28), Wober enalteceu a importância da federação para o fortalecimento do partido a nível nacional, mas argumentou que a nominata da legenda terá poucas chances de eleger um deputado estadual. Na entrevista, Wober garantiu que o Cidadania, independente da decisão da federação, não apoiará um candidato ligado ao presidente Jair Bolsonaro.

Wober afirmou que a federação com o PSDB ocorreu devido a semelhanças programáticas entre as legendas, mas disse que também houve a tentativa de união ao PV e ao PDT, que não chegou a se confirmar. Apesar de afirmar que nacionalmente o partido se beneficiou com a federação, o dirigente admite que o Cidadania se prejudicou no Rio Grande do Norte.

“Nesse aspecto (local), olhando para o coração do Cidadania, a gente foi prejudicado pela federação. A federação foi muito boa a nível nacional porque assegura a continuidade como instituição, mas aí no estado a gente estava trabalhando para fazer uma chapa competitiva. Como os candidatos não tinham densidade eleitoral dos candidatos que são deputados, muitos desistiram. Entendemos”, disse Wober Júnior, afirmando ainda que o Cidadania terá cinco candidatos a deputado estadual e dois a deputado federal.

Sobre os rumos do partido e da federação com o PSDB no Rio Grande do Norte, Wober Júnior defende que se mantenha a neutralidade com relação à chapa majoritária, sem apoiar oficialmente nenhum dos candidatos que estão na disputa. Apesar de confirmar que a decisão dos rumos caberá ao PSDB devido à maioria de 70% da federação, Wober garante que o Cidadania não apoiará nenhum candidato que esteja ao lado do presidente Jair Bolsonaro, seja no Rio Grande do Norte ou em qualquer outro estado do país.

“O que queremos é o consenso. Se prevalecer a posição de não fazer opção por candidato, acho que é a melhor opção. O Cidadania não vota em candidato bolsonarista. Isso é uma decisão clara aí e a nível nacional. Quem for do time de Bolsonaro, a gente está fora”, disse Wober, garantindo ainda que o partido não acompanhará o PSDB em caso de decisão contrária, mesmo para apoiar Rogério Marinho ao Senado – que é consenso no PSDB. “Temos a autonomia partidária. No Rio Grande do Norte vamos votar contra o candidato de Bolsonaro. O Cidadania não acompanharia a posição de apoiar um candidato bolsonarista”, reafirmou.

 

Do Tribuna do Norte