Erupção vulcânica pode destruir cidade na Islândia, temem especialistas

'Lagoa Azul' na Islândia fecha temporariamente após milhares de terremotos
'Lagoa Azul' na Islândia fecha temporariamente após milhares de terremotos — Foto: Halldor KOLBEINS / AFP

A cidade islandesa de Grindavik, perto da capital Reykjavik e lar de cerca de 4 mil habitantes, pode ser gravemente afetada pela possível erupção de um vulcão dentro de horas ou dias, afirmam especialistas.

A cidade, no Sudoeste da Islândia, foi evacuada desde a noite de sexta-feira até as primeiras horas de sábado, depois que o magma que se deslocava sob a crosta terrestre causou centenas de terremotos. Para os especialistas, trata-se de um indício de erupção.

— Estamos realmente preocupados com todas essas casas e com a infraestrutura na área — diz o chefe da administração de Proteção Civil e Gestão de Emergências do país, Vidir Reynisson.

A cidade está situada perto da usina geotérmica de Svartsengi, a principal fornecedora de eletricidade e água para os 30 mil habitantes da península de Reykjanes. Também fica próxima do balneário geotérmico Blue Lagoon, popular destino turístico que fechou, temporariamente, no início desta semana, por precaução.

— O magma está agora a uma profundidade muito rasa, por isso esperamos uma erupção dentro de horas ou pelo menos alguns dias — acrescenta Reynisson.

O cenário mais provável, diz, é a fissura do solo perto de Grindavik: — Temos uma fissura com cerca de 15 quilômetros de comprimento e podemos ver que uma erupção pode ocorrer em qualquer parte dessa fissura.

O serviço meteorológico da Islândia informou que ocorreram 500 terremotos na região entre 15h de sexta-feira e 3h de sábado, no horário de Brasília, 14 deles com magnitude superior a 4 pontos.

O país declarou estado de emergência ainda na sexta-feira, depois que a série de fortes terremotos abalou o Sudoeste da Península de Reykjanes. Pouco depois, as autoridades decidiram evacuar a cidade de Grindavik.

Três erupções ocorreram recentemente perto de Fagradalsfjall, na península de Reykjanes: em março de 2021, agosto de 2022 e julho deste ano. Todas ocorreram longe de qualquer infraestrutura, ou zona povoada, diferente do que pode acontecer agora.

A Islândia tem 33 sistemas vulcânicos ativos, o maior número da Europa. A ilha do Atlântico Norte se sobrepõe à Dorsal Meso-Atlântica, uma fenda no fundo do oceano que separa as placas tectônicas da Eurásia e da América do Norte.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.