Enem 2023: MEC aciona PF para investigar vazamento de caderno de questões do segundo dia e anula pergunta repetida

Presidente do Inep, Fernando Palácios, e ministro da Educaçã, Camilo Santana, no primeiro dia do Enem
Presidente do Inep, Fernando Palácios, e ministro da Educaçã, Camilo Santana, no primeiro dia do Enem — Foto: Cristiano Mariz

O ministro da Educação, Camilo Santana, afirmou que o MEC acionou a Polícia Federal para investigar um novo vazamento de imagens da prova do Enem no segundo dia de aplicação, que aconteceu neste domingo, 12. Santana e o presidente do Inep, Manuel Palacios, fazem um balanço sobre o segundo dia de provas do Enem, encerrado na noite deste domingo, 12.

Além disso, o ministro informou que o Inep anulou uma questão repetida no caderno de matemática que já havia caído na edição de 2010.

— Quero antecipar dois fatos que ocorreram hoje. O primeira foi a circulação de imagens da prova por volta de 17h, cerca de uma hora antes de poder sair da prova com o caderno. Nós acionamos a Polícia Federal. O MEC já acionou hoje pelo fato de ter circulado por volta das 17h essa prova escaneada. Não há nenhum prejuízo porque não houve confirmação de vazamento antes do início da prova — declarou Santana. — O segundo é que o Inep decidiu anular a questão da gripe e H1N1 repetida da edição de 2010.

Os participantes resolveram questões objetivas de química, física, biologia e matemática. A prova teve questões sobre energia nuclear, lixo e matemática na química. Segundo o Inep, o gabarito oficial do exame estará disponível no site no dia 24 de novembro.

Já o resultado do Enem 2023 poderá ser acessado a partir de 16 de janeiro de 2024, na página do participante.

O Inep informou na tarde deste domingo que a Polícia Federal já identificou oito pessoas que divulgaram imagens dos Cadernos de Questões do Enem 2023 durante a aplicação do primeiro domingo, aplicadas em 5 de novembro. Após apurações, ainda segundo os organizadores do exame, não há nenhuma informação de postagem de conteúdo da prova antes do horário estipulado para início da aplicação.

Os investigadores já tomaram depoimentos de pessoas que cometeram as irregularidades nas cidades de Caruaru (PE), Natal (RN), Cornélio Procópio (PR) e Brasília (DF). Além disso, ainda estão sendo realizadas diligências no Rio Grande do Sul e no Ceará. A operação também apreendeu materiais com suspeita de uso para aplicação de fraude ao exame em Maceió (AL) e Vitória da Conquista (BA).

No primeiro dia, a prova mobilizou 31,4 mil profissionais de segurança pública de todo o Brasil. Para este domingo, o Inep reforçou o monitoramento das redes sociais para identificar eventuais vazamentos durante a prova.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.