Empresa de cosméticos é condenada por erro em cadastro de CPF de consultora em Parelhas

O juiz Adriano da Silva Araújo, titular da comarca de Parelhas, condenou a empresa de cosméticos Natura, a indenizar uma de suas consultoras, por impossibilitar que ela realizasse a solicitação de produtos. A parte autora da ação alegou que ao tentar fazer a solicitação dos produtos que revende, em junho de 2016, foi surpreendida com a informação de bloqueio no seu CPF, porque correspondia ao de uma pessoa já falecida, razão pela qual não era possível realizar novas transações.

Após se certificar junto à Receita Federal que não havia nenhum problema com seu CPF, a consultora entrou em contato com a empresa, que alegou que o seu cadastro havia sido cessado por falta de atividade. A empresa também alegou que a revendedora só poderia voltar a usar seu castro para realizar pedidos em janeiro de 2017. A autora da ação requereu no processo o seu reingresso imediato no quadro da Natura, além de pagamento de indenização por danos materiais e morais.