Empreendedores de Natal e região Metropolitana recebem apoio do Microcrédito

O guia de turismo João Francisco Rodrigues passou meses preocupado, mas nesta sexta-feira (10), enfim, pôde respirar aliviado. Sem poder trabalhar como gostaria devido ao impacto da pandemia de Covid-19 no setor turístico, ele buscou na Agência de Fomento do RN (AGN-RN) o apoio que precisava para poder superar o difícil momento profissional. A instituição é responsável pela gestão do programa de apoio e estímulo do Governo do Estado a empreendedores por meio de crédito.

Não apenas ele, mas outros 50 microempreendedores que atuam como formais ou informais nas cidades de Natal, São Gonçalo do Amarante e São José de Mipibu foram atendidos com os recursos do programa Microcrédito do Empreendedor. A liberação dos recursos aconteceu nesta sexta na Escola de Governo, na sede do Centro Administrativo do Governo do Estado do RN. Ao todo, foi investido um volume de recursos no total de R$ 276,2 mil.

“Fiquei sabendo (do Microcrédito do Empreendedor) através da divulgação na mídia, profissionais de turismo como eu que ficaram parados devido a pandemia, poderiam ter acesso a verba que ajudaria nesse momento difícil”, destacou João Francisco que pretende custear algumas despesas e investir em divulgação a partir da retomada. “As coisas estão voltando e quero investir, desenvolver um trabalho melhor”, afirmou.

João Francisco se mostrou satisfeito com o atendimento da instituição e recomenda o financiamento para qualquer empreendedor que precise. “Recomendo muito. Depois que resolvi toda documentação necessária, o financiamento saiu. É de verdade mesmo. Recomendo e vou indicar pros meus companheiros”, concluiu.

O programa Microcrédito do Empreendedor Potiguar é uma ferramenta de estímulo a implantação de novos negócios e para promoção do crescimento sustentável dos empreendimentos e empreendedores do estado. Os financiamentos são direcionados a microempreendedores e pequenos empreendedores, sejam eles formais ou informais, dos mais diversos segmentos da economia potiguar.

Os prazos para pagamento variam de acordo com a atividade produtiva e a natureza física ou jurídica do contratante. Para quem paga em dia, a taxa de juros é zerada. Durante a pandemia, a AGN adotou medidas como a suspensão de cobrança de parcelas por um período de 90 dias, ampliação de carências, criação de novas linhas de crédito, novos limites de financiamento, ampliação de setores atendidos, novas opções de garantia, dentre outros.

Para a diretora-presidente da AGN, Márcia Maia, o apoio oferecido pelo Governo do Estado através da instituição é um diferencial importante para auxiliar os negócios a superarem os efeitos da pandemia. Ainda segundo ela, ao conversar com empreendedores das mais diversas regiões do estado, a convicção da importância do trabalho desenvolvido só cresce.

“A governadora Fátima Bezerra tem defendido uma AGN forte, presente no dia a dia dos empreendedores potiguares. E temos um diferencial em relação às demais instituições que atendem a esse público que é o fato de termos juros zero para os empreendedores que pagam as parcelas dos seus financiamentos em dia. A história de cada empreendedor atendido mostra a importância desse trabalho”, atestou.

CRÉDITO NA AGN

O volume de recursos financiados em pouco mais de dois anos e meio já supera o volume total de recursos financiados nos quatro anos anteriores.  De 1º de janeiro de 2019 até o início do mês de setembro de 2021, mais de 16 mil operações foram realizadas e beneficiaram empreendimentos de diversos segmentos econômicos do RN a partir das diversas linhas administradas pela Agência. O valor total injetado nos negócios e na economia do estado no período se aproxima dos R$ 69 milhões.

O Governo do Estado, através da Agência de Fomento, criou produtos diversos para atender cada vez mais empreendedores e atividades econômicas no RN: Criou as linhas CredJovem, destinada à Juventude Empreendedora; CredSolidário, destinada à Economia Solidária; ProCultura, destinada ao setor Cultural; CredMais Agricultura Familiar, destinada aos produtores da agricultura familiar, e continua a buscar novas alternativas para democratizar ainda mais o crédito e impulsionar o desenvolvimento econômico no estado.