Eduardo Paes lê discurso feito pelo ChatGPT em evento com Lula

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, durante fala em evento do Impa nesta 3ª feira (2.abr.2024). Ele usou o ChatGPT para formular trecho de seu discurso | Reprodução/YouTube
O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, durante fala em evento do Impa nesta 3ª feira (2.abr.2024). Ele usou o ChatGPT para formular trecho de seu discurso

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), leu um discurso feito pelo ChatGPT durante o evento de inauguração do novo departamento do Impa (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), localizado na capital fluminense, nesta 3ª feira (2.abr.2024).

Segundo Paes, ele usou a ferramenta de inteligência artificial para demonstrar a importância de disciplinas como engenharia e matemática para o desenvolvimento sustentável dos países.

“Esse discurso que eu acabei de ler, eu acabei de fazer entrando no Impa, dentro do meu carro. Pedi que o ChatGPT preparasse um discurso para eu ler diante do presidente da República […] agradeço a inteligência artificial e não a minha inteligência por essa parte do discurso”, disse.

Assista (3min14s): 

Em outro trecho de sua fala, dessa vez escrito por ele mesmo, o prefeito do Rio disse que é importante para o Brasil “reter esses talentos”, em referência aos estudantes do Impa. “Esse projeto que a gente inaugura hoje é a nossa joia da coroa”, afirmou.

Ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), estavam presentes no evento os ministros Camilo Santana (Educação), Luciana Santos (Ciência), Anielle Franco (Igualdade Racial) e Silvio Costa Filho (Portos e Aeroportos).

O Impa Tech é um instituto de ensino superior financiado pelo governo federal, por meio do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação e do Ministério da Educação, e conta com parceria da prefeitura do Rio de Janeiro.

Para 2024, o governo federal investirá R$ 18,7 milhões no Impa Tech.

Em fala na inauguração, Lula culpou a “elite” pelo Brasil estar atrasado em relação a outros países no ensino superior e comparou o Brasil ao Chile e à Argentina.

“Nós estamos atrasados porque durante muitas décadas e muitos séculos a elite que dirigia esse país não imaginava filho de pobre, filho de classe média, estudar. Quem estudava era quem podia mandar seu filho para Paris, para Londres, para Madrid, para Harvard”, afirmou.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.