Desafio LED distribuiu R$ 300 mil para tirar projetos do papel; conheça os vencedores

Renan Ferreirinha, secretário municipal de Educação do Rio, foi jurado no Desafio LED
Renan Ferreirinha, secretário municipal de Educação do Rio, foi jurado no Desafio LED — Foto: Márcio Alves

A terceira edição do Desafio LED — Me dá uma Luz aí! premiou ontem cinco jovens com ideias revolucionárias de acesso à educação, no Festival LED. Coube ao apresentador Marcos Mion anunciar os vencedores: Nathália Peixoto, como primeira colocada, seguida por Raislúcio Leal, em segundo. Cada um voltou para casa com R$ 85 mil — os dois primeiros ganhadores levavam a fatia maior do prêmio de R$ 300 mil.

Nathália, de 21 anos, moradora de Hortolândia (SP), conquistou os especialistas e o primeiro lugar no pódio ao sugerir um sistema personalizado de recomendação de vídeos educacionais. Já Raislúcio, morador de Belém do Piauí (PI), criou uma plataforma colaborativa que busca tornar a educação acessível para estudantes com deficiência visual no ensino superior.

A escolha dos vencedores foi feito pelos jurados Renan Ferreirinha, secretário de Educação da prefeitura do Rio de Janeiro; Ana Paula Xongani, empresária, apresentadora e influencer; Monique Evelle, empreendedora palestrante; e Ardilhes Moreira, coordenador do G1 Educação. A apresentação das ideias foram realizadas diante de uma plateia lotada. Com a Mastertech como parceira técnica, o desafio faz parte do Movimento LED, e recebeu mais de 2,4 mil ideias sobre o tema.

O secretário de Educação Renan Ferreirinha elogiou os projetos apresentados e a aplicabilidade de cada um deles em sala de aula:

— O Festival LED tem a cara do Rio, porque incentiva a inovação, o pensar diferente e a evolução da educação brasileira — afirmou o secretário. — O Desafio LED mostra que a inovação e a tecnologia podem caminhar juntas para melhorar a educação, especialmente a rede pública de ensino, beneficiando diretamente nossos milhares de alunos, suas famílias e professores — disse.

Entre as outras iniciativas estão a criação de um aplicativo para alfabetização de jovens e adultos; um clube de assinaturas de livros infantis para crianças de escolas públicas; e um aplicativo que faz a intermediação entre especialistas em acessibilidade e educação inclusiva. Eles receberam R$ 60 mil, R$ 40 e R$ 30 mil, respectivamente.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.