Deputados pedem impeachment de Silvio Almeida

Silvio Almeida
Chefiado por Silvio Almeida (foto), o Ministério dos Direitos Humanos confirmou ter pago uma das viagens de Luciane Barbosa, chamada de "dama do tráfico" pela oposição, para Brasília

Deputados de oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) protocolaram na 4ª feira (15.nov.2023) um pedido de impeachment contra o ministro dos Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida. Os congressistas falam em crime de responsabilidade por parte do ministro.

Segundo o pedido, Almeida autorizou o Ministério dos Direitos Humanos a custear as despesas com passagem e estadia de Luciane Barbosa Faria, chamada de “dama do tráfico amazonense” pelos integrantes da oposição. Eis a íntegra do requerimento (PDF – 544 kB).

Luciane é casada com Clemilson dos Santos Farias, o “Tio Patinhas”, apontado como líder do CV (Comando Vermelho) no Amazonas. Nos últimos 3 meses, foi recebida por secretários do Ministério da Justiça em duas ocasiões.

Os deputados afirmam ainda que o ministro colocou o “aparato estatal” à disposição de Luciane. O pedido define a mulher do traficante como um “indivíduo umbilicalmente ligado ao tráfico ilícito de drogas”.

O autor do requerimento é o deputado Rodrigo Valadares (União Brasil-SE). De acordo com o congressista, a conduta de Almeida evidencia uma cumplicidade “escandalosa” da administração federal com o crime organizado e uma “disposição” para utilizar os recursos do Estado para “facilitar a penetração de associados criminosos” no aparato público.

Além da perda do cargo, o requerimento pede que o ministro não exerça nenhuma função pública por um prazo de 8 anos.

Além de Valadares, outros 45 deputados também assinaram o pedido. São eles:

Presidente da ILA (Associação Instituto Liberdade do Amazonas), Luciane Barbosa é casada com Clemilson dos Santos, que era o procurado “número 1” da polícia do Amazonas até ser preso em dezembro de 2022. Ele foi condenado por lavagem de dinheiro, associação ao tráfico e organização criminosa, e cumpre 31 anos no presídio de Tefé (AM).

Luciane se encontrou com 2 secretários do Ministério da Justiça, comandado por Flavio Dino, em março e em maio de 2023. As reuniões foram divulgadas primeiramente pelo jornal O Estado de S. Paulo. Segundo o veículo, Luciane é integrante da facção criminosa Comando Vermelho. Ela, no entanto, nega a acusação.

Na 4ª feira (14.nov), o ministro Silvio Almeida classificou as críticas à visita de Luciane Barbosa Farias, conhecida como “dama do tráfico amazonense”, ao Ministério da Justiça como “ataques difamatórios”coordenados por extremistas de direita.

O ministério comandado por Almeida confirmou na 4ª feira (15.nov) ter pago uma das viagens de Luciane Barbosa para Brasília.

O ministério disse em nota que o pagamento da viagem foi feito para o encontro nacional do CNPCT (Comitês e Mecanismos de Prevenção e Combate à Tortura), realizado nos dias 6 e 7 de novembro. Luciana foi indicada pelo comitê estadual do Amazonas como representante da região para o evento, e por isso sua viagem foi paga pelo órgão. O dinheiro usado veio do orçamento próprio reservado ao CNPCT.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.