Delírios, diz Dino sobre suposta conexão com o Comando Vermelho

Ministro da Justiça, Flávio Dino (foto), diz que como "não há prova de nada", vão precisar de "uma reunião que não existiu e de uma fraude com um vídeo"

O ministro Flávio Dino afirmou nesta 3ª feira (14.nov.2023) que vai processar “os autores das mentiras” sobre sua conexão com facções criminosas. Ele foi criticado pela oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelo fato de o Ministério da Justiça e Segurança Pública ter recebido Luciane Barbosa Farias, conhecida como a “dama do tráfico amazonense”. Ela é integrante da fação CV (Comando Vermelho), segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Dino disse em seu perfil no X (ex-Twitter) que foi “avisado” por um jornalista que a próxima notícia seria de que ele tem ligações com o PCC (Primeiro Comando da Capital). O ministro chamou as afirmações de “delírios” e declarou que como “não há prova de nada”, vão precisar de “uma reunião que não existiu e de uma fraude com um vídeo”. Por fim, disse que “daqui a pouco vão descobrir que sou mesmo um super-herói dos Vingadores. Além de criminosos, são ridículos”.

Luciane Barbosa Farias, a mulher do líder do CV Clemilson dos Santos, apelidado de Tio Patinhas, encontrou-se com 2 secretários do ministério em 2023. Segundo a reportagem, esteve nos encontros como presidente da ILA (Associação Instituto Liberdade do Amazonas), indicada pela polícia civil do Amazonas como ONG que atua em prol de presos do Comando Vermelho e é financiada com dinheiro do tráfico.

Em nota, o Ministério da Justiça disse que era “impossível” que o setor de inteligência do ministério a identificasse por ela ter participado dos encontros junto a uma comitiva. A presença não foi registrada nas agendas oficiais.

O ministro Flávio Dino disse, em seu perfil no X, que os encontros não foram realizados em seu gabinete e que nunca recebeu “líder de facção criminosa, ou esposa, ou parente, ou vizinho”.

Também na rede social, o secretário Elias Vaz informou que recebeu Luciane durante uma audiência com a presidente da Anacrim (Associação Nacional dos Advogados Criminalistas), a ex-deputada estadual do Rio de Janeiro Janira Rocha, para uma audiência em 16 de março. Luciane integrava a comitiva nessa reunião no ministério.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.