Crianças, estrangeiros e famílias inteiras: quem são os reféns do Hamas em Gaza

Familiares de israelenses feitos de reféns pelo Hamas protestam em Tel Aviv
Familiares de israelenses feitos de reféns pelo Hamas protestam em Tel Aviv — Foto: AHMAD GHARABLI / AFP

De acordo com levantamento da agência de notícias AFP, que identificou 208 dos 239 reféns contabilizados pelas autoridades israelenses, ao menos 34 deles são menores de idade. Há ainda famílias inteiras sob custódia do grupo terrorista desde o ataque em 7 de outubro. O balanço também aponta que 60% das vítimas de sequestro são homens e há pelo menos 17 crianças de até 10 anos.

Nesta segunda-feira, o Hamas acusou Israel de “deturpar” as negociações mediadas pelo Catar sobre a possível libertação de alguns reféns em troca da soltura de 200 crianças e 75 mulheres que estão presas em Israel.

— A mediação do Catar está liderando os esforços para obter a libertação [dos reféns] em troca da libertação de 200 crianças palestinas e 75 mulheres palestinas das prisões inimigas — disse o porta-voz das brigadas Ezzedin al-Qassam, Abu Obeida, em uma gravação de áudio transmitida pelo Hamas. — [Israel] exigiu a libertação de 100 [reféns], nós informamos à mediação que poderíamos libertar os reféns se obtivéssemos cinco dias de trégua, ou seja, um cessar-fogo e a passagem de ajuda para todas as pessoas do nosso povo em todas as partes da Faixa de Gaza. Mas o inimigo está deturpando.

No domingo, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu falou no canal americano NBC sobre a possibilidade de um acordo para libertar os reféns mantidos pelo Hamas na Faixa de Gaza.

O refém mais jovem é Kfir Bibas, que tinha nove meses quando foi levado do kibutz (comunidade agrícola judaica) de Nir Oz. O irmão dele, Ariel, de 4 anos, e os pais Yarden e Shiri, de cerca de 30 anos, também foram sequestrados. A mãe e seus dois filhos, que segundo a imprensa israelense têm nacionalidade argentina, aparecem rodeados de terroristas armados em um vídeo publicado nas redes sociais.

Entre os capturados há ao menos oito pessoas com mais de 80 anos. Os mais velhos tinham 85 anos, como Yaffa Adar. O vídeo do seu sequestro, a bordo do que parece ser um carrinho de golfe, viralizou nas redes sociais.

Ao menos 31 famílias têm vários membros mantidos reféns. As duas mais afetadas afirmam ter cada uma sete membros entre os confirmados.

É o caso da israelense Inbal Zach. Os combatentes do Hamas sequestraram sete de seus familiares no kibutz Beeri, localizado a 4 km da fronteira com a Faixa de Gaza.

São eles: Tal Shoham (38 anos), sua esposa Adina e seus filhos Nave (8) e Yahel (3), assim como a mãe, Shoshan Haran, e a tia, Sharon Avigdori, de Adina e sua filha, Noam (12). Outros membros da família foram assassinados.

A outra família com sete integrantes sequestrados é do kibutz Nir Oz, onde pelo menos 70 pessoas foram capturadas pelo grupo terrorista. Sharon Aloni Cunio (34 anos), seu marido David Cunio (33), suas filhas Emma e Yuly, seu cunhado Ariel Cunio, sua irmã Danielle Aloni (44) e sua sobrinha Amelia Aloni (5) foram levados juntos.

Danielle Aloni apareceu em um vídeo divulgado pelo Hamas em 30 de outubro, junto com outras duas mulheres, Yelena Trupanov e Rimon Kirsht. O grupo também publicou outro vídeo em 16 de outubro com a refém franco-israelense Mia Shem.

O Hamas capturou pessoas em ao menos 10 kibutz e no festival de música Supernova, edição Universo Parallelo, onde fez 38 reféns.

Ao menos 10 soldados e observadores do Exército israelense também estão na lista dos sequestrados.

De acordo com dados oficiais de 7 de novembro, os reféns são cidadãos de 28 países. Há 25 tailandeses, 21 argentinos, 18 alemães, 10 americanos, sete franceses e sete russos. Vários têm dupla cidadania.

Até o momento, o Hamas libertou quatro reféns e uma soldado foi resgatada pelo Exército israelense em Gaza.

O grupo Jihad Islâmica, aliado do Hamas em Gaza, divulgou um vídeo em 9 de novembro com os reféns Hannah Katzir e Yagil Yaakov.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.