Coopmed lança Campanha contra Agressão aos Médicos

Cada vez mais médicos são agredidos e ameaçados em seu ambiente de trabalho. Com ocorrências cada vez mais frequentes, a Cooperativa Médica do RN – Coopmed-RN – orienta e oferece todo suporte jurídico ao seus cooperados, no entanto é preciso trabalhar com prevenção para coibir atos desta natureza, na qual saem prejudicados não apenas os médicos, mas também a população que perde com a ausência do profissional.

Para entender a natureza dessas agressões, a Cooperativa tomou a iniciativa de elaborar uma pesquisa junto aos seus cooperados no mês de julho e a partir daí criou a Campanha “Respeitar o Médico é valorizar a vida” – Basta de violência contra os profissionais da saúde.

A pesquisa foi realizada pelo formulário do Google com a participação de profissionais entre 25 a 71 anos, do sexo masculino e feminino. 69% dos entrevistados já foram agredidos e 51,4 % por acompanhantes e 37,1 % por pacientes, mas o que chama a atenção é que 58,8% das agressões ocorrem em mulheres médicas.

Outro ponto que precisa de atenção é que 83,8% dos entrevistados não tomaram nenhuma medida jurídica após as agressões.
Só em 2022, a assessoria jurídica da cooperativa já foi acionada 13 vezes para acompanhar e orientar os médicos sobre as medidas cabíveis junto a justiça.

Além do estado fisico, o emocional fica abalado. De acordo com assessora jurídica, Drª Catarina Sousa, é comum o relato dos médicos que não querem mais voltar a escala do local onde ocorreu o crime de agressão. “A mãe de uma médica agredida entrou em contato comigo e disse que a filha não iria voltar ao local por ter medo de que algo aconteça novamente”, revela.

Para o diretor médico da Coopmed, Dr. Luiz Eduardo Barbalho, esta Campanha é um ganho para categoria e um serviço para sociedade, que é a maior prejudicada quando um médico é agredido.

“O médico, vítima de agressão, muitas vezes não deseja voltar ao local do trabalho, desta forma, aquela unidade hospitalar deixa de oferecer um atendimento de determinado especialista”, explica.

De acordo com Dr. Luiz Eduardo, uma consulta precisa ser feita com tranquilidade para que a Anamenese seja realizada de forma correta, o médico precisa conversar com o paciente entender suas queixas e sintomas, e realizar o exame clínico para que chegue a um diagnóstico.

As agressões aos médicos tem aumentado em virtude da grande demanda de atendimentos que a Pandemia da COVID-19 gerou.

Esta Campanha, produzida pela Coopmed, visa conscientizar a sociedade sobre a necessidade do tempo de atendimento, e que as agressões são infrações penais previstas no Artigo 21 do Decreto de Lei 3.688/41, que ameaça a integridade física através da praia de atos de ataque ou violência contra pessoa, desta forma os agressores podem ser penalizados com detenção de 3 meses a 1 ano.

A Coopmed lança sua Campanha em outdoors, busdoor, cartazes nas unidades e videos nas redes sociais.