Conselho Tutelar de Equador também é alvo de investigação pelo Ministério Público

A exemplo dos conselhos tutelares de Parelhas e de Santana do Seridó, o de Equador também é alvo de investigação do Inquérito Civil, aberto pela promotora Kaline Cristina Dantas Pinto de Andrade.

Na ação, a promotora investiga a resolutividade da atuação do Conselho Tutelar de Equador, se há a compilação de dados referentes ao exercício de suas atribuições, bem como das demandas e deficiências na implementação das políticas públicas voltadas às crianças e aos adolescentes, se há o cumprimento da carga horária de 40hs semanais por todos os Conselheiros Tutelares e a forma de compensação dos plantões.