Compass cria nova empresa para atuar no mercado de gás

Canos amarelos com setas vermelhas
Compass registrou crescimento de 53% nos lucros no 3º trimestre; na foto, dutos de distribuição da Comgás em São Paulo

A Compass, companhia de gás natural e energia do grupo Cosan, anunciou a criação de um novo negócio na área de gás. A Edge vai absorver as atividades de Marketing e Serviços da empresa, tendo como ativos o TRSP (Terminal de Regaseificação de São Paulo), as operações de biometano, a operação de GNL (gás natural liquefeito) B2B, a comercializadora de gás; e demais projetos de infraestrutura.

“A Edge já nasce com um portfólio robusto e chega para reforçar ainda mais o nosso compromisso com o desenvolvimento do mercado livre de gás e com uma transição energética segura e eficiente. O terminal de GNL vai proporcionar ao mercado acesso à oferta mundial de gás natural e estamos investindo em parcerias para ampliar também a oferta de biometano, formando um ecossistema de soluções confiáveis, competitivas e sob medida ao cliente”, afirma Nelson Gomes, CEO da Compass.

O anúncio foi feito na noite de 2ª feira (13.nov.2023), quando a Compass também divulgou seus resultados financeiros trimestrais. A empresa reportou lucro líquido de R$ 865 milhões, um aumento de 53% na comparação com o mesmo período de 2022. Eis a íntegra do balanço (PDF – 1 MB).

A Compass foi fundada em 2020. No segmento de distribuição de gás, a companhia detém participação em distribuidoras de gás canalizado e gerencia esses negócios por meio de 2 veículos: a Comgás, a maior distribuidora do Brasil, em São Paulo; e a Commit, uma joint-venture controlada pela Compass, tendo como sócia a Mitsui.

Nesta 3ª feira (14.nov), a Compass anunciou a troca no comando da companhia a partir de 2024. Antonio Simões Rodrigues Júnior assumirá a posição de diretor-presidente da Compass em 1º de janeiro. Eis a íntegra do fato relevante (PDF 223 kB).

Atualmente, ele ocupa a posição de diretor presidente da Comgás. Entre 2011 e 2020, ocupou diversos cargos na Raízen nas áreas de Logística, Distribuição e Trading, em São Paulo, Londres e Genebra. Seu último cargo na Raízen foi o de vice-presidente de Energias Renováveis.

Nelson Gomes, que renunciou ao cargo, permanece na posição de diretor presidente da companhia até 31 de dezembro de 2023.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.