Com recursos do dízimo, Paróquia de Parelhas mantem projeto de prevenção a depressão desde 2015

Em pleno Setembro Amarelo, mês de conscientização sobre a Valorização da Vida, o Blog do Marcos Dantas destaca que a Paróquia de São Sebastião de Parelhas mantem, desde o ano de 2015 um projeto intitulado de “Espiritualidade e Saúde”. Criado pelo Padre Rômulo Azevedo logo ao assumir a paróquia, o projeto vem ajudando a salvar vidas deprimidas, através de palestras, acompanhamentos psicológicos, dentre outras iniciativas.

Devido o meu gosto pela psicologia e a passagem pela faculdade eu me preocupo muito com isso. A primeira etapa em 2015 dedicamos aos retiros espirituais, todos os meses a gente fazia uma manhã espiritual nas comunidades rurais, tratando sobre a questão do autoconhecimento, de como lidar com as feridas da vida, ou seja, temáticas ligadas a questão de como a espiritualidade pode ajudar na cura”, explicou Padre Rômulo.

Na segunda etapa Padre Rômulo foi bem mais ousado, escrevendo um livro intitulado de “Terapia Espiritual”, chegando a distribuir, de forma gratuita, mais de 5 mil exemplares. “Tudo financiado pelo dízimo da Paróquia”, garante o religioso.

A terceira etapa foi dedicada a palestras. Enquanto Padre Rômulo dedica toda segunda 2ª feira do mês para falar aos paroquianos sobre doenças no campo da Teologia e da Espiritualidade, nas quartas sextas-feiras um psicólogo parceiro do projeto aborda a prevenção de saúde mental. “Isso já acontece há uns dois anos. Como não sou psicólogo me refiro apenas ao campo teológico”.

Para coroar o Projeto “Espiritualidade e Saúde”, a quarta etapa contemplou a destinação de um espaço, na própria Secretaria Paroquial, denominada de Sala de Atendimento Psicoespiritual, funcionando de segunda a sábado. “Manhã, tarde e noite, padres, freiras, leigos e psicólogos estão lá atendendo e ouvindo as pessoas. Quatro psicólogos estão comigo, voluntariamente, atendendo os parelhenses que procuram nosso projeto. Durante a semana as pessoas se inscrevem, e eles vão atendendo”, comentou.

Graças ao dízimo que nossos paroquianos ofertam mensalmente, conseguimos pagar os custos com deslocamento dos psicólogos, com a manutenção da sala, produção de material para os atendimentos. É um projeto todo financiado pelo dízimo. Os pacientes do projeto não pagam nada pelos atendimentos, e é aberto para todas as religiões, não apenas para os católicos. A parte espiritual e religiosa quem faz é o padre, os psicólogos fazem um trabalho cientifico, dentro das normais do Conselho Nacional de Psicologia”, finalizou Padre Rômulo.