Com baixa cobertura vacinal contra a poliomielite, equipes de saúde passam a visitar bairros à procura de crianças no RN

Profissionais de saúde de cidades como Natal e de Mossoró começaram a visitar bairros com menores índices de vacinação contra a poliomielite.

 

Com a baixa cobertura vacinal de crianças contra a poliomielite, as secretarias de saúde de municípios do Rio Grande do Norte passaram a adotar a busca ativa e enviar equipes de vacinadores para os bairros. É o caso de Natal e Mossoró, as duas maiores cidades potiguares.

Na capital, esse trabalho foi iniciado na última segunda (26) nos bairros Felipe Camarão, na Zona Oeste, e Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte. Além da pólio, os profissionais aproveitam para atualizar as carteiras de vacinação infantil com outros imunizantes.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, os vacinadores vão definir um cronograma semanal nos bairros com menor índice vacinal, para imunizar , na ação porta a porta, crianças de zero a menores de cinco anos.”Nossa última campanha foi contra a Pólio, onde apenas 18% de nossas crianças foram vacinadas, isso preocupa pois ainda temos cerca de 33 mil crianças descobertas”, comenta George Antunes, secretário municipal de Saúde da capital.

Até a próxima sexta-feira (30), todos os pontos extras da capital estarão abastecidos com a vacina contra pólio. Nas unidades básicas de saúde, de segunda a sexta, segundo a SMS, é possível encontrar todas as vacinas do Programa Nacional de Imunização.

Outra estratégia anunciada pela SMS de Natal será a aplicação dos imunizantes nas escolas, a partir de outubro.

Em Mossoró, a equipe da Unidade Básica de Saúde (UBS) Sinharinha Borges, no bairro Barrocas, vem realizando busca ativa de crianças de 1 ano a menores de 5 para a imunização especialmente contra a poliomielite.

“Estamos em uma área descoberta. A nossa equipe vem para ela e realiza a busca ativa destas crianças que ainda não receberam a gotinha contra a pólio. É um trabalho que realizamos regularmente. Temos uma equipe preparada para essa ação. Quando, por algum motivo, as pessoas não podem se deslocar à UBS nós passamos nessas áreas e realizamos a vacinação nas crianças que não tomaram a vacina e também em idosos e acamados que não conseguem se deslocar até a nossa unidade”, explicou a diretora da unidade, Luana Amaral.

Coordenador de Imunizações da Secretaria de Saúde de Mossoró, Etevaldo Lima, pediu que a população da cidade leve as crianças para receber as gotinhas a fim de evitar a doença.

“É importante que a população faça sua parte e busque o serviço de vacinação ou atenda esse pessoal que está na busca ativa dessas crianças. Nós não podemos retroceder. A poliomielite está com risco iminente de ser reintroduzida no nosso país. A única forma de combater esse agravo é a vacinação”, declarou.