Cinco pessoas são detidas por ameaças ao candidato à presidência da Argentina Sergio Massa

A quinta e última detenção, de uma mulher que estava foragida na província de Salta, foi confirmada pelo ministro do Interior, Aníbal Fernández

Cinco pessoas foram detidas neste sábado, véspera do segundo turno das eleições presidenciais na Argentina, por ameaças em diferentes redes sociais ao candidato governista, o peronista Sergio Massa, e sua família, segundo fontes oficiais. A quinta e última detenção, de uma mulher que estava foragida na província de Salta, foi confirmada pelo ministro do Interior, Aníbal Fernández, em mensagem de resposta pela rede X (antigo Twitter) ao próprio Massa.

Outras quatro pessoas haviam sido detidas na sexta-feira na cidade de Buenos Aires e nas províncias de Chaco e Córdoba, segundo a agência estatal Télam.

“Obrigado a todas e todos os que nos escreveram preocupados com as ameaças que recebemos”, publicou Massa na rede X, juntamente com uma foto de sua esposa, Malena Galmarini, e dos filhos, de 17 e 21 anos.

Massa enfrentará no segundo turno deste domingo o ultradireitista Javier Milei, nas eleições mais disputadas e polarizadas em 40 anos de democracia. Na noite de sexta-feira, Milei recebeu vaias de muitos espectadores na apresentação de ópera a que assistiu no Teatro Colón de Buenos Aires.

O episódio contou com o “repúdio sem atenuantes” do diretor do teatro, Jorge Telerman. As ameaças a Massa se seguem a outras anteriores, denunciadas na Justiça pela presidente da Câmara dos Deputados, a governista Cecilia Moreau, entre outros.

No início de agosto, o candidato à Presidência do Equador Fernando Villavicencio foi assassinado com três tiros na cabeça após deixar um comício no auditório de uma escola no norte da capital Quito. Um dos suspeitos pelo crime foi morto durante tiroteio com a polícia, e a facção criminosa Los Lobos reivindicou a autoria do atentado.

Fonte: O Globo