Cientistas reconhecem transmissão de coronavírus pelo ar e reforçam necessidade de máscara

Artigos publicados nos últimos meses engrossaram as evidências de que a transmissão do novo coronavírus pelo ar, não só por gotículas de saliva, é possível e tem um papel maior do que se imaginava inicialmente. Cada vez mais estudos confirmam a presença do vírus ativo em aerossóis de saliva expelidos por pessoas durante a fala, espirro ou tosse. A informação é da Folha de S. Paulo.

E aerossóis de saliva são partículas líquidas muito pequenas, mas maiores do que o Sars-Cov-2, e por isso podem carregá-lo pelos ambientes. Diferentemente das gotículas de saliva maiores, que caem sobre as superfícies em segundos ou poucos minutos pela ação da gravidade, os aerossóis podem permanecer suspensos no ar por algumas horas.Por isso, os especialistas alertam que o uso de máscara é essencial para barrar o avanço da Covid-19.

Testes feitos por diferentes institutições com máscaras caseiras produzidas com diversos materiais mostram que o equipamento pode oferecer alguma proteção contra gotículas e aerossóis.