Cidade na Islândia é esvaziada por medo de erupção vulcânica após mil terremotos em 24 horas

'Lagoa Azul' na Islândia fecha temporariamente após milhares de terremotos
'Lagoa Azul' na Islândia fecha temporariamente após milhares de terremotos — Foto: Halldor KOLBEINS / AFP

A cidade de Grindavik, no sudoeste da Islândia, com cerca de quatro mil habitantes, foi esvaziada pelo receio de uma possível erupção vulcânica, informaram neste sábado as autoridades de proteção civil. Antes disso, o Escritório Meteorológico Islandês (EMI) relatou que haviam sido registrados 1.400 sismos no país em um intervalo de 24 horas, de quarta-feira para quinta-feira. Milhares de outros foram relatados nos dias anteriores.

A Islândia declarou estado de emergência na sexta-feira, depois de os tremores abalarem o sudoeste da Península de Reykjanes. Os abalos sísmicos poderiam preceder uma erupção vulcânica perto de Sundhnjukagigar, cerca de três quilômetros a norte de Grindavik.

Os serviços meteorológicos islandeses tinham afirmado inicialmente que uma erupção ocorreria provavelmente “dentro de vários dias, em vez de algumas horas”, depois de observarem que o magma se tinha acumulado abaixo da superfície da Terra, a uma profundidade de cerca de cinco quilômetros.

Mas na noite de sexta-feira, os serviços meteorológicos notaram atividade sísmica aproximando-se da superfície e magma começando a subir verticalmente na crosta terrestre entre Sundhnjukagigar e Grindavik, sugerindo que poderia haver uma erupção mais cedo do que o esperado.

Portanto, as autoridades decidiram evacuar Grindavik.

Três erupções ocorreram perto de Fagradalsfjall, na Península de Reykjanes, em março de 2021, agosto de 2022 e julho de 2023. Todas ocorreram longe de qualquer infraestrutura ou áreas povoadas.

Grindavik, a cerca de 40 quilômetros a sudoeste da capital Reykjavik, está localizada perto do spa geotérmico Lagoa Azul, um destino turístico popular que fechou temporariamente no início da semana por precaução.

A cidade também fica perto da usina geotérmica de Svartsengi, principal fornecedora de eletricidade e água para os 30 mil habitantes da Península de Reykjanes.

A Islândia tem 33 sistemas vulcânicos activos, o maior número na Europa.

Esta ilha do Atlântico Norte se sobrepõe à Dorsal Meso-Atlântica, uma fenda no fundo do oceano que separa as placas tectônicas da Eurásia e da América do Norte.

O site oficial da Islândia informa aos turistas que as erupções vulcânicas são relativamente regulares, mas imprevisíveis: “Desde o início do século 19, não passou uma década sem uma; no entanto, é totalmente aleatório se elas acontecem em sucessão rápida ou com intervalos mais longos entre as erupções”.

Fonte: O Globo

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.