CBF treina árbitros no Rio para unificação de critérios

O encontro entre presidentes de clubes das Séries A e B com a Comissão de Arbitragem da CBF, há uma semana, ainda não apresentou resultado prático em partidas oficiais – mas ao menos está servindo para a cúpula da arbitragem brasileira trabalhar em um ponto muito cobrado pelos cartolas naquele encontro: o da unificação de critérios. Esta semana, 95 profissionais do apito, entre juízes de campo e assistentes, estão no Rio atrás disso.

“Os clubes falaram muito na reunião (de terça-feira passada) sobre critérios, de aproximação de critérios. A gente está trabalhando em vídeos, em sala de aula, e a gente traz os árbitros aqui (no campo) para trabalhar com jogadores”, disse ao Estadão o presidente da Comissão de Arbitragem, Wilson Seneme, nesta terça-feira. “Temos que sair daqui com a mentalidade nos árbitros de que eles têm que aproximar critérios.”

As atividades acontecem até sexta-feira em dois turnos, com grupos se dividindo entre o Clube da Aeronáutica e o Centro de Excelência da Arbitragem Brasileira (CEAB). Há aulas práticas em campo – inclusive com orientação de Seneme – e teóricas.

Sobre o fato de ir ele mesmo ao campo para orientar os árbitros – e fez isso inclusive com cobranças -, Wilson Seneme justificou que aquele “é o nosso time”. “Você vai nos treinos nos clubes, de um time de futebol (e é assim). A gente está orientando, falando, parando, porque é o momento real do treino. Esta é a hora de corrigir, não depois”, sustentou.

Apesar das frequentes críticas e da sucessão de árbitros que estão sendo afastados, Seneme negou que esta temporada seja a com maior incidência de reclamações. “No ano passado ela foi muito mais criticada do que neste ano. Eu acompanhei, na Conmebol, de perto isso”, afirmou. “Há críticas que são verdadeiras e construtivas, e que a gente tem que aprender”, disse.