Campanha contra a poliomielite será incorporada pelo RN Mais Vacina

Mesmo estando livre da poliomielite desde 1994, o Brasil está na área de risco da doença, conforme alerta feito pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O reaparecimento da enfermidade, que acomete principalmente crianças, tem como principal causa a baixa procura pela vacina, que pode ser encontrada em todo o sistema público de saúde.

RN Mais Vacina – Foto: Paiva Rebouças – Agecom/UFRN

Com o intuito de mudar esse quadro, a partir desta segunda-feira, 8, começou, em todo o país, mais uma campanha de vacinação contra a poliomielite. No Rio Grande do Norte, a plataforma RN Mais Vacina vai auxiliar o gerenciamento de todo o processo de imunização da população alvo. Seguindo os mesmos parâmetros já utilizados, com a plataforma poderá ser feito o controle de estoque de cada localidade, dos quantitativos distribuídos, além de haver um controle do processo de imunização.

Para que todo o processo seja acompanhado, é necessário que as crianças até quatro anos, público-alvo da campanha, estejam cadastradas na categoria de dependente na plataforma digital. O cadastro precisa ser feito pelos pais ou responsáveis legais. Mas atenção: é necessário que o adulto responsável também esteja cadastrado no RN Mais Vacina para que o menor seja inserido no sistema.

Conforme levantamento realizado na própria plataforma, menos de 50% do público da campanha possui esse cadastro. “Com o cadastramento, os gestores da saúde terão as informações necessárias para planejar e gerenciar o processo de imunização das crianças em todo o estado”, argumentou o diretor executivo do LAIS, professor Ricardo Valentim.

De acordo com levantamento feito pela FioCruz, apesar da gravidade das sequelas provocadas pela pólio, o Brasil não cumpre, desde 2015, a meta de 95% do público-alvo vacinado, patamar necessário para que a população seja considerada protegida contra a doença. Em 2021, o percentual de crianças vacinadas chegou a 67% com as três doses iniciais, que são ministradas durante o primeiro ano de vida. Esse percentual é ainda menor quando se trata da dose de reforço, não ultrapassando os 52%.

RN Mais Vacina

Plataforma criada pelo Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN), o RN Mais Vacina permite o rastreio da vacina, desde seu recebimento na Central Estadual de Rede de Frio até aplicação na sala de vacina, tudo isso em uma interface web intuitiva e acessível. A plataforma possui o cruzamento de dados que identifica incidentes e gera alertas e relatórios inteligentes centrados na experiência do cidadão e do profissional da saúde.

Poliomielite 

Doença infecto-contagiosa aguda causada pelo poliovírus selvagem, a poliomielite pode provocar desde sintomas como os de um resfriado comum a problemas graves no sistema nervoso, como paralisia irreversível, principalmente em crianças com menos de cinco anos de idade.