Câmara Temática da Agricultura Familiar debate ‘Sertão Vivo’ na 2ª Fenafes

No segundo dia (17) de programação 2ª Feira Nordestina da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Fenafes), foi realizada a reunião da Câmara Temática da Agricultura Familiar do Consórcio Nordeste (CTAF – Consórcio Nordeste) para debater o Projeto Sertão Vivo – Semeando Resiliência Climática em Comunidades Rurais no Nordeste. A Fenafes segue até este domingo (19), no Espaço Cultural José Lins do Rêgo, em João Pessoa (PB). O RN participa com 26 empreendimentos da agricultura familiar e economia solidária.  

Sobre o Sertão Vivo, a iniciativa conta com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) para apoiar propostas de todos os estados da região, que promovam o aumento da resiliência climática da população rural do Semiárido. O investimento previsto, de  aproximadamente R$ 1,8 bilhão, beneficiará 430 mil famílias no Nordeste; o Rio Grande receberá R$ 151 milhões, para beneficiar 38 mil famílias.

A reunião da CTAF ocorreu na manhã de sexta-feira (17), sob a liderança do coordenador da CTAF, Alexandre Lima, titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (Sedraf-RN), com a presença dos outros secretários estaduais da região. Ele ressaltou a importância de comemorar a expansão do projeto para todos os estados do Nordeste na atual gestão do Governo Federal.

A ampliação do Sertão Vivo, que é acompanhado pelo Consórcio Nordeste, foi lançada no dia 24 de outubro em Brasília (DF), presidente da República e pelo presidente do BNDES, Aloizio Mercadante. “A maior vitória da Câmara Temática foi a conquista de que todos os estados pudessem ter acesso ao Sertão Vivo, que antes era apenas para quatro e hoje abrange todo o Nordeste, é uma conquista fundamental que devemos celebrar.”

De acordo com Alexandre Lima, a ampliação do projeto irá aumentar o aporte de recursos para a região: “isso significa R$ 800 milhões de reais a mais para a região, uma soma significativa. O projeto vai viabilizar quase R$ 2 bilhões de reais. É a maior experiência em termos de execução regional integrada de um projeto na história do nordeste e talvez do Brasil.”

O secretário executivo da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento do Semiárido da Paraíba, Bivar Duda, destaca a atuação da CTAF para a conquista desse aporte. “Eu acho que foi um passo importante, um marco nosso enquanto Câmara Temática nessa questão da ampliação Sertão Vivo, do edital, a gente simplesmente disse assim, nós estamos aqui, a gente quer participar daqui para a frente”, disse o secretário.

Ele ainda agradeceu a presença dos secretários estaduais presentes na reunião e na 2ª Fenafes. “Quero também agradecer a vocês e todos os estados por estarem presentes, por vir para a feira, porque não adianta a gente fazer, preparar a estrutura, fazer a feira e não ter gente, não ter produto. Então, quem vem dos outros estados traz os produtos, os expositores, os agricultores e cabe a nós da Paraíba mobilizar o nosso pessoal para comprar, para ver as exposições”, disse Bivar Duda.

Mecanização Agrícola – Neste sábado (18), entrou em pauta o tema da mecanização da agricultura familiar. O debate, mediado pelo secretário da CTAF, Reginaldo Câmara, contou com a participação de Alexandre Lima (CTAF/CNE/Sedraf-RN), Vívian Libório (Diretora de Inovação/MDA), Milton Fornazieri (Secretaria Nacional de Abastecimento/MDA), Sheila Rodrigues (MST/CE) e Aristides Santos (Contag).

Segundo Alexandre, ficou definido um ato em fevereiro de 2024 para o lançamento da mecanização com a entrega das máquinas agrícolas fabricadas na China adaptadas à agricultura familiar, na cidade de Apodi, no Rio Grande do Norte.

“Nós vamos fazer um grande ato de lançamento da mecanização em Apodi no Rio Grande do Norte, dia 2 de fevereiro, com a presença de uma delegação de uma missão chinesa proposta por empresários e por membros do governo chinês”, revelou.

Pelo acordo firmado com a China, o Rio Grande do Norte vai receber como doação 31 máquinas, de 22 modelos, produzidas por sete fabricantes. As máquinas são do tipo motocultivadores, microtratores, roçadeiras, plantadeiras e semeadeiras. Pela facilidade no manuseio, possibilitam a inserção de mulheres e jovens no manejo da terra, contribuindo para fixar toda a família agricultora no campo.

Fenafes 2023 – O coordenador da CTAF, Alexandre Lima, também falou sobre a importância do evento para o setor produtivo e para os gestores das políticas públicas para a região. “A Fenafes é uma grande festa, um momento de integração e também de dialogar com a sociedade. O grande saldo é justamente que nós podemos intensificar o processo de diálogo das políticas públicas, mas é também um importante instrumento onde a população de João Pessoa e da Paraíba pode conhecer o quanto é forte a pujante a agricultura familiar do Nordeste”, concluiu.

A Feira Nordestina tem a parceria da Fundação Parque Tecnológico da Paraíba; Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz); Banco do Nordeste; Bom é na Feira / Caixa Econômica Federal; Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida); Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA); Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase); Banco Mundial; PB Rural Sustentável; Cooperar; Empaer; Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais; Federação dos Trabalhadores na Agricultura da Paraíba (Fetag) e Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar.

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.