Bolsonaro disse que “falou por alto” com Mandetta e determinação vai ser isolamento apenas idosos e pessoas com doenças pré-existentes

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que a orientação do governo federal será que a população adote o “isolamento vertical” a partir de agora, deixando apenas idosos e pessoas com doenças pré-existentes fora do convívio social. Segundo ele, não há outra alternativa, mas a decisão será sacramentada após uma conversa com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Conversei por alto com Mandetta hoje e vamos definir essa situação. Tem que ser, não tem outra alternativa. A orientação vai ser o [isolamento] vertical daqui pra frente. Vou conversar com ele e tomar uma decisão. Não escreva que já decidi, não. Vou conversar com o Mandetta sobre essa orientação”, declarou a jornalistas na porta do Palácio do Alvorada.

Na entrevista, Bolsonaro reiterou o que disse no pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV, ontem, e disse esperar que o Brasil volte à normalidade e “encare o vírus até como se fosse um guerra, mas em situação de igualdade, em pé”.

Se nós nos acovardamos, formos para o discurso fácil, todo mundo em casa, vai ser o caos, ninguém vai produzir mais nada, desemprego tá aí, vai acabar o que tem na geladeira”, declarou o presidente.

Bolsonaro também afirmou que, caso o país não volte à normalidade, todos os brasileiros pagarão um preço durante anos e aventou a possibilidade de que o Brasil “possa ainda sair da normalidade democrática“. Depois, explicou que se referia a um eventual risco de a esquerda aproveitar a situação.

Valor Investe