BC da Argentina reduz taxa de juros para 40%

Cédulas e moedas de peso argentino
A redução da taxa básica de juros foi anunciada pelo Banco Central da Argentina horas depois de ser divulgado que a inflação mensal do país fechou abril em 8,8%; na foto, cédulas e moedas de peso argentino

O Banco Central da Argentina voltou a baixar a taxa básica de juros na 3ª feira (14.mai.2024), de 50% para 40%. A medida ocorreu horas depois que o Indec (Instituto Nacional de Estatística e Censos) divulgou que a inflação mensal do país fechou abril em 8,8%. 

A autoridade monetária disse ter “observado que a firmeza do compromisso do governo com a meta de deficit fiscal zero aumenta a credibilidade na âncora central do programa econômico e fortalece uma trajetória de expectativas de inflação mais baixas”. Eis a íntegra do anúncio, em espanhol (PDF – 83 kB).

O presidente da Argentina, Javier Milei, tomou posse em 10 de dezembro de 2023, quando os juros eram de 133% ao ano.

if(“undefined”==typeof window.datawrapper)window.datawrapper={};window.datawrapper[“KxgfY”]={},window.datawrapper[“KxgfY”].embedDeltas={“100″:596,”200″:498,”300″:425,”400″:425,”500″:400,”600″:400,”700″:400,”800″:400,”900″:400,”1000”:400},window.datawrapper[“KxgfY”].iframe=document.getElementById(“datawrapper-chart-KxgfY”),window.datawrapper[“KxgfY”].iframe.style.height=window.datawrapper[“KxgfY”].embedDeltas[Math.min(1e3,Math.max(100*Math.floor(window.datawrapper[“KxgfY”].iframe.offsetWidth/100),100))]+”px”,window.addEventListener(“message”,function(a){if(“undefined”!=typeof a.data[“datawrapper-height”])for(var b in a.data[“datawrapper-height”])if(“KxgfY”==b)window.datawrapper[“KxgfY”].iframe.style.height=a.data[“datawrapper-height”][b]+”px”});

O resultado da inflação de abril divulgado na 3ª feira (14.mai) representa uma desaceleração de 2,2 pontos percentuais referente a março, quando atingiu 11%. Foi o 4º mês consecutivo de queda. Eis a íntegra do relatório (PDF – 1 MB, em espanhol).

Os setores de habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis (35,6%), comunicação (14,2%), vestuário e calçados (9,6%) foram os que tiveram a maior variação mensal.

Já a inflação anual argentina avançou para 289,4% em abril –maior patamar desde fevereiro de 1991, quando a inflação ficou em 582%. A alta foi de 1,5 ponto percentual em relação aos 287,9% registrados em março.

Leia mais: 

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.