Após ação do Facebook, Bolsonaro diz ser vítima de perseguição

Em sua primeira manifestação pública após a ação do Facebook que removeu uma rede com 73 contas ligadas a integrantes do seu gabinete, seus filhos e aliados, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quinta-feira (9) que é vítima de perseguição e que seus adversários querem derrubá-lo no tapetão. Foram removidas 35 contas do Facebook e 38 do Instagram que, segundo a empresa, atuaram para manipular o uso das plataformas antes e durante o mandato de Bolsonaro —incluindo a criação de pessoas fictícias que se passavam por repórteres.

Segundo a Folha de S. Paulo, parte das contas promovia propagação de ódio e ataques políticos.Bolsonaro fez a live sem máscara e tossiu duas vezes. Sobre a mesa, havia uma caixa de hidroxicloroquina, medicamento que não tem eficácia cientificamente comprovada pela ciência no combate à doença. No braço esquerdo, estava visível um curativo para proteger o local de onde tirou sangue para acompanhamento de sua equipe médica.