87.000 imóveis estão sem energia em SP após 4 dias de temporal

Chuva em São Paulo
Temporal registrado em 3 de novembro derrubou árvores e afetou a rede de distribuição de energia em São Paulo

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) informou que até o início da tarde desta 3ª feira (7.nov.2023) cerca de 87.000 imóveis ainda estavam sem fornecimento de energia elétrica em São Paulo. O blecaute continua em regiões da capital e do interior paulista depois de 4 dias do temporal registrado no Estado na 6ª feira (3.nov). Antes, ele afirmou que eram 83.000 unidades consumidoras, mas corrigiu a informação.

De acordo com o diretor-geral da agência, Sandoval Feitosa, aproximadamente 98% dos consumidores impactados já tiveram o abastecimento de energia reestabelecido. Ao todo, o blecaute atingiu 4,2 milhões de unidades consumidores em 23 municípios e 7 áreas de concessão em São Paulo.

Feitosa classificou o temporal como um evento gravíssimo e de grande desafio para retomada total dos serviços. Ele afirmou que a tempestade contou com ventos superiores a 100 km/h, sendo que as redes de distribuição de energia são planejadas para suportar rajadas de até 80 km/h.

“De início, foi priorizado o fornecimento de energia em serviços essenciais, como saúde, segurança pública, estações de tratamento de água e escolas, como era véspera da realização do Enem [Exame Nacional do Ensino Médio]. Das 300 escolas onde seriam aplicadas as provas do Enem em São Paulo, 85 estavam sem energia, mas o serviço foi reestabelecido a tempo”, disse.

Até as 12h de domingo (5.nov), 85% das unidades impactadas já contavam com energia. O foco agora, segundo o diretor-geral da Aneel, é a retomada do fornecimento aos consumidores que seguem sem energia. A agência tem mantido contato com as concessionárias envolvidas e com o Governo de São Paulo e a prefeitura da capital paulistana.

Em outra frente, serão abertos processos de fiscalização e apuração para cada distribuidora envolvida para apurar a responsabilidade e eventuais falhas no processo de retomada do fornecimento.

“Técnicos estão tomando providências de fiscalização, sendo solicitadas aberturas de processo de fiscalização por empresa para apuração de responsabilidade e aplicação de sanções cabíveis, numa apuração rigorosa de todas as responsabilidades do evento. Sabemos que a origem foi um grave evento climático, mas o cidadão tem que ter o serviço recomposto na maior brevidade possível. E eventuais falhas devem ser apuradas com rigor pelo órgão regulador”, afirmou Feitosa.

Fonte: Poder360

© 2024 Blog do Marcos Dantas. Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site sem prévia autorização.