“Vamos produzir de forma sustentável, consciente e lucrativa”, Maria Maguineide, do Sítio Mansidão, em Apodi


O grupo de nove mulheres da associação dos agricultores do Sítio Mansidão em Apodi trabalham com polpa de frutas. Elas plantam, colhem, processam a fruta, embalam e vendem de casa em casa, sob encomenda ou na feira. A produção é feita na associação localizada na zona rural que tem alguns equipamentos como liquidificador e freezer essencial para esse tipo de alimento. O lucro é dividido com todas.

O grupo participou do Edital de Economia Solidária, no projeto elas pediram a construção de uma mini fábrica de beneficiamento de frutas. Elas foram selecionadas e receberam do Governo do RN 318 mil na construção da fábrica e compra de equipamentos. Os recursos são do Governo Cidadão por meio do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial. A Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) é quem coordena a ação.

“A obra está 60 % pronta, a estrutura foi levantada, agora vai iniciar a parte de acabamento”, afirma Teófilo Fernandes, articulador territorial do Projeto Governo Cidadão. A variedade de frutas e a qualidade das polpas de caju, manga, tamarindo, goiaba e maracujá são um diferencial na região. As integrantes do grupo relembram a conquista. A primeira alegria foi conseguir o terreno, o agricultor Manoel do Nascimento foi sensível a causa e fez a doação.

Ao ver a obra em andamento, o grupo se emociona. “Nosso grupo hoje é um exemplo aqui e nas comunidades vizinhas. As pessoas olham e comentam. Nossa, como nove mulheres conseguiram”, diz Maguineide. As meninas são tão afinadas que parece mais uma família. “O trabalho é uma benção, aqui a gente rir, chora… `manga` das que choram. É bom demais. Vamos virar empresárias produzindo de forma sustentável, consciente e lucrativa”, finaliza.