Marcos Dantas

Saúde paralisa atividades a partir de amanhã em Natal


A partir das 6h de amanhã (16), e por tempo indeterminado, os servidores municipais da Saúde iniciarão uma greve. A paralisação reduzirá não somente a mão de obra nos postos de saúde, hospital e maternidades municipais, mas também no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Das nove ambulâncias equipadas como Unidades de Suporte Básico (USB), quatro não sairão da garagem. Das três Unidades de Suporte Avançado (USA), também chamadas de Unidades de Terapia Intensiva Móveis, uma ficará parada na sede do Samu Municipal, em Dix-Sept Rosado. Consequentemente, o tempo de atendimento das ocorrências será impactado em toda a capital.

“Nos locais de trabalho, a paralisação será de 30% a 50% dos trabalhadores. Mas tem setor que não vai parar porque só tem um servidor trabalhando”, detalhou a diretora do Sindicato dos Servidores em Saúde (SindSaúde/RN), Célia Dantas. Ela confirmou que o tempo de espera por socorro médico através do Samu irá aumentar, mas não previu em quanto tempo.

“Sim, isso vai ocorrer, mas não é por causa somente da greve. Todos os dias, macas ficam presas no Pronto Socorro Clóvis Sarinho pela superlotação no hospital e falta de leitos”, declarou a líder sindical. Os trabalhadores da Saúde Municipal reclamam, entre outros pontos, do pagamento dos salários no último dia útil do mês trabalhado e a implementação da correção das 30 horas dos profissionais de Enfermagem, cuja lei foi promulgada pelo prefeito Carlos Eduardo em abril passado.