Reunião em João Pessoa discute situação do Açude Curemas e Mãe D’água


reuniao-em-joao-pessoa-02

Membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do rio Piancó-Piranhas-Açu estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira (05/10), na sede da Aesa, em João Pessoa/PB, para tratar sobre vários assuntos que foram deliberados na 5ª Reunião Extraordinária, que aconteceu no dia 15/07, em Pombal/PB. Na pauta da reunião desta última quarta-feira,  estiveram o abastecimento da Comunidade Mãe D’Água, a situação do Canal da Redenção, situação do edital para implantação de um escritório na ANA na bacia e as informações sobre a adutora emergencial para o abastecimento de Caicó e das cidades do Seridó.

Ao final da reunião foram tomadas algumas decisões. Sobre o abastecimento da Comunidade Mãe D’Água ficou decidida a redução de perdas e interrupção de derivações irregulares na rede de distribuição e avaliação da necessidade de instalação de ventosas na rede de distribuição. Sobre o Canal da Redenção, ficou decidido que em dezembro de 2016, o canal deverá operar por bombeamento a fim de suprir exclusivamente os sistemas de abastecimento da cidade de Aparecida e de comunidades rurais localizadas no PIVAS e às margens do Canal.

Sobre a operação do Açude Mãe D’Água, a decisão é que o Dnocs providenciará ligação de energia elétrica para possibilitar a instalação do medidor ultrassônico que se encontra instalado no adutor 2 da Usina Coremas. Esse medidor permitirá o registro contínuo das vazões descarregadas do Açude Mãe D’Água para o Rio Aguiar.

Ficou definido também que, sobre o Açude Curemas, a partir de novembro de 2016 deverá ser interrompida a descarga de vazão do Açude Curema para o Rio Piancó. Com relação ao escritório da ANA na bacia, a própria instituição informou que o processo licitatório (pregão) foi concluído em 03/10/2016. A empresa vencedora do certame é a PROJECTE, atualmente sediada em Sousa – PB. “Foi uma reunião bastante proveitosa e de bastante importância para a Paraíba e para o Rio Grande do Norte. Nós estamos enfrentando a maior seca da história recente e ainda teremos muitos meses pela frente. A nossa quadra chuvosa deve ser apenas em fevereiro e os nossos reservatórios estão muito secos. Portanto, foi fundamental tomar essas decisões para a continuidade do abastecimento das cidades”, disse Paulo Varela.