“Pode haver pessoas recebendo sem trabalhar”, diz presidente da Câmara de Natal sobre assessores


Do G1 – “Pode ser que haja pessoas recebendo sem trabalhar. A Câmara tem o controle de quem são os servidores. Quem vem e quem não vem (trabalhar), não tem como saber”. A declaração é do presidente do Poder Legislativo de Natal, vereador Ney Lopes Júnior (PSD), ao G1. Nesta terça-feira (5), uma portaria da mesa-diretora exonerou todos os assessores parlamentares – exceto os dos gabinetes dos vereadores.

Ney Lopes reconheceu que o Poder Legislativo não tem controle de quem vai trabalhar ou não e considerou que esse pode ser um dos motivos do ‘inchaço’ nas contas. Foi constatado um déficit de R$ 2 milhões no orçamento da casa para 2017.

“Nós não podemos ter uma casa inchada sem saber quais funcionários estão nela. Serão todos identificadaos”, declarou. Em nota enviada após a exoneração coletiva, a Câmara Municipal de Natal informou que o objetivo dela é a realização de uma readequação orçamentária. A atual presidência do Legislativo teria constatado o rombo de R$ 2 milhões no orçamento para manutenção geral da instituição.

“Neste momento de crise nacional e em razão da realidade orçamentária constatada e para assegurar a honradez dos vencimentos dos servidores tornou-se necessária uma readequação financeira do quadro funcional”, informou.

O texto não citou a possibilidade da existência de servidores fantasmas. Nem a assessoria de imprensa, nem o próprio vereador Ney Lopes Júnior souberam informar a quantidade de servidores exonerados e o impacto financeito das demissões. A exoneração coletiva publicada nesta terça-feira (5) não apresentou a lista de servidores demitidos. Segundo apurou o G1, esse tipo de publicação é comum no fim de cada legislatura.