Marcos Dantas

Novembro Azul: Hapvida Saúde alerta sobre o câncer de próstata


novembro-azul

Novembro é o mês da conscientização do Câncer de Próstata. No Brasil, o Inca (Instituto Nacional de Câncer) estima que 61.200 novos casos da doença apareçam até o fim de 2016, ou seja, aproximadamente 61,80 novos casos a cada 100 mil homens. O instituto considera câncer de próstata uma doença da terceira idade, porque cerca de três quartos dos casos no mundo surgem a partir dos 65 anos. Trata-se do segundo tipo mais comum entre os homens, atrás do câncer de pele.

Gil Fonseca, urologista do Hapvida Saúde, explica que a próstata é uma glândula localizada perto da bexiga. A doença ocorre quando as células da próstata começam a se multiplicar de forma desordenada. O perigo é que, no início, o câncer na região não apresenta sintomas.

Os exames para diagnosticar a doença devem ser realizados, pelo menos, uma vez por ano, por homens a partir dos 50 anos. Já para os que têm histórico familiar com a doença, a recomendação é que esse cuidado comece aos 45 anos. Segundo Gil, o câncer pode ser descoberto inicialmente no exame clínico chamado de PSA (exame de sangue para a dosagem do PSA – antígeno prostático específico) ou por meio do exame do toque retal, que enfrenta a resistência de muitos homens, devido ao preconceito que ainda existe.

Para Carla Cristini, psicóloga do Hapvida Saúde, o preconceito e os tabus têm diminuído, mas ainda são os principais motivos para a não realização do exame. “Essa postura preconceituosa à sociedade machista, que impõe regras de comportamento para que o homem seja considerado “macho”. Entre elas, estão o mito da saúde inabalável do homem, já que, para essa sociedade, somente ele deve prover a casa e a família, e o fato de que o exame de toque retal colocaria em xeque a masculinidade”, explica.