Não repercute bem na região a criação de mais comissionados em Ouro Branco

As Prefeituras potiguares enfrentam sua maior crise financeira da história. Muitas já atrasam servidores em vários meses e até estão cortando despesas. No Seridó, chamou a atenção a intenção da prefeita Fátima Silva (PT) ter enviando Projeto de Lei, criando vários cargos comissionados. Vale salientar que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) enviou um alerta à prefeita informando sobre o limite prudencial. Também deve ser levada em conta a homologação do concurso público, que vai onerar a folha com servidores efetivos.

 

O Blog soube que o Ministério Público de Jardim do Seridó está de olho na intenção da prefeita de Ouro Branco.  O projeto de lei, encaminhado pela À Câmara Municipal quer criar cinco cargos: Diretor de Compras, Chefe do Setor de Farmácia, Chefe do Setor de Cozinha Hospitalar, Pregoeiro Oficial e Assessor Jurídico.  Outro agravante é que a tentativa de criação desses cargos expõe uma situação gravíssima na Prefeitura de Ouro Branco: esses cargos já haviam sido ocupados por correligionários da prefeita. É que Fátima pode ter nomeado comissionados em cargos inexistentes de Diretor de Compras, Chefe do Setor de Farmácia, Chefe do Setor de Cozinha Hospitalar, Pregoeiro Oficial e Assessor Jurídico, os mesmos “novos” cargos que ela está tentando criar agora. Mas, isso só quem poderá comprovar é a investigação do Ministério Público Estadual. Vamos aguardar!

Prefeita pode ser questionada por nomear comissionados em cargos inexistentes