Marcos Dantas

Mesada: educação financeira tem que ser iniciada desde cedo


educacao-financeira-divulgacao-internet

Economista dá dicas de como lidar com dinheiro durante a infância e adolescência; psicóloga explica o papel dos pais como exemplos na hora de administrá-lo

A cada mês mais pessoas tem seus nomes incluídos nos registros do Serasa por inadimplência. Pegando o mês de maio como exemplo, quase 60 milhões de brasileiros não conseguiram pagar as contas. Não saber administrar os gastos é um problema que pode ser minimizado quando se é educado financeiramente desde cedo. De acordo com especialistas, dar mesada para crianças e adolescentes pode ser um método eficaz para aprender a lidar com o dinheiro.

Segundo João Bosco Mousinho Reis, economista da Estácio de Sá, um dos benefícios da mesada é o de ensinar a criança que dinheiro é difícil de ser adquirido e que o valor dele reside no poder de compra de um produto ou serviço, mas que também é importante ter uma reserva financeira para o futuro.

“Quando a criança desenvolve a ideia de valor das coisas que deseja, como um brinquedo, por exemplo, isso abre uma janela de oportunidade para ela aprender a lidar com dinheiro. Claro que o entendimento de matemática também deve ser considerado para que o aprendizado seja adequado”, explica o professor.

Para a psicóloga do Hapvida Saúde, Lívia Vieira, os pais têm papel primordial como exemplo para os filhos. Cabe a eles conversar e ensinar o valor de dinheiro e como administrá-lo de maneira responsável. É importante, também, mostrar confiança, para que o filho tenha segurança para usar a mesada.

“Os adultos precisam se conscientizar que são o maior exemplo das crianças. Os pais precisam sempre estabelecer elos de confiança e parceria com seus filhos. Não seria diferente no quesito financeiro”, considera a psicóloga.