Marcos Dantas

Maternidade Escola promove reunião científica sobre prematuridade


A Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), realiza no dia 17 de novembro, uma Reunião Científica, no Auditório Iaperi Araújo, do setor de Tocoginecologia, objetivando a sensibilização do Dia Mundial da Prematuridade.

O evento será dividido em cinco dias para a realização da Semana Mundial da Prematuridade. A programação incluirá reuniões científicas voltadas para a prematuridade e o método canguru, grupos de oração com o tema Filhos prematuros, no dia 17. Além disso, estandes e transmissões de vídeos institucionais e rodas de conversas também completam a campanha entre os dias 22 e 25.

O Dia Mundial da Prematuridade tem como objetivo alertar sobre o crescente número de partos prematuros e informar sobre as consequências para o bebê, sua família e a sociedade, além de defender a adoção de tratamentos mais adequados, garantindo a sobrevida dos bebês nascidos antes do tempo.

Prematuros

Os nascimentos prematuros são responsáveis por quase metade das mortes de recém-nascidos. O parto é considerado prematuro quando ocorre com menos de 37 semanas de gestação. Aproximadamente 15 milhões de crianças nascem prematuras por ano no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com o Sistema Único de Saúde (SUS) e o Ministério da Saúde, no Brasil, 931 bebês nascem prematuros por dia ou 40 por hora, indicando uma taxa de prematuridade equivalente à 12,4%.

Em 2015, a MEJC registrou 1232 casos de prematuridade, equivalente a 29,4% dos partos da instituição. Já em 2016, até o mês de junho, totalizou 633 partos de prematuros, referente à 30,9% dos partos, categorizando um índice bem maior do que o nacional.