Greve dos bancários agrava crise no comércio

derneval-sa

A tranquilidade do movimento nos bancos na tarde de ontem não reflete a apreensão de comerciantes e comerciários. Com duas semanas de greve dos bancários completados ontem, os estabelecimentos comerciais já registram redução de circulação de clientes e até de faturamento. Soma-se a greve, o cenário de crise econômica, em que os consumidores pensam bem mais de duas vezes antes de gastar – isso se tiver dinheiro. Não há perspectiva de retorno ao atendimento normal.

O presidente da Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim, Derneval Sá, afirmou que em sua loja o faturamento nas primeiras semanas deste mês é 3% menor do que no mês passado. “O efeito do banco fechado com a crise virou catastrófico. O restante do povo que ainda andava por aqui, deixou de vir”, disse.

Para o líder empresarial, esse fenômeno ainda acontece porque muitas consumidores não se aderiram ao uso de cartões de débito. “Ainda há o hábito de ir ao banco, tirar dinheiro, fazer pagamentos. E com o banco fechado, essa fatia da população não sai de casa. O fluxo de pessoas, mesmo com a crise, se mantinha, mas com a greve nos bancos diminuiu substancialmente a clientela do bairro”, acrescentou.