Marcos Dantas

Gilmar Mendes: “Decisões de Sérgio Moro não devem ser canonizadas”


Da Folha – O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes, criticou o uso político da Operação Lava Jato e defendeu o projeto de lei contra abusos dos agentes público. Para ele, a Lava Jato é mesmo um marco na história, mas não justifica a “canonização” das decisões do juiz Sergio Moro, responsável pela operação em primeira instância.

Segundo pontuou a Folha de S.Paulo, Gilmar considera que a operação vem sendo usada “oportunisiticamente” para defender privilégios do Judiciário, do Ministério Público e de outras corporações. “A Lava Jato tem sido um grande instrumento de combate à corrupção. Ela colocou as entranhas do sistema político e econômico-financeiro à mostra, tornando imperativas uma série de reformas. Agora, daí a dizer que nós temos que canonizar todas as práticas ou decisões do juiz Moro e dos procuradores vai uma longa distância”, disse o ministro do Supremo.