Flávio Gikovate, médico, psicoterapeuta e escritor, morre de câncer de pâncreas


flavio_gikovate

Médico psiquiatra, psicoterapeuta, conferencista e escritor, Flávio Gikovate morreu nesta quinta-feira, às 18h30, depois de uma curta batalha contra um câncer de pâncreas descoberto em abril. Ele estava internado desde o início da semana passada.

Autor de inúmeros livros que se tornaram best-sellers, ele apresentava o programa No Divã do Gikovate, na rádio CBN, e participava periodicamente de encontros com o público na Livraria Cultura. Foi num desses encontros, em 13 de setembro, que ele apresentou seu livro mais recente: Para Ser Feliz no Amor (Summus). Confiante no tratamento, Gikovate andava cheio de planos. Dois dias depois, no entanto, descobriu uma metástase.

Pioneiro nos estudos sobre o sexo, amor e vida conjugal no Brasil, ele publicou mais de 30 livros que já venderam, juntos, cerca de 1 milhão de exemplares. Sua estreia na literatura foi em 1975. De lá para cá, publicou obras como O Mal Bem e Mais Além, Uma História do Amor… Com Final Feliz, A Arte de Educar, Uma Nova Visão do Amor, Ensaios sobre Amor e Solidão e muitos outros.

Nascido em 11 de janeiro de 1943, Flávio Gikovate se formou em medicina em 1966, na USP. Ele contava que sua grande fonte de inspiração eram seus pacientes – foram mais de 10 mil nesses 50 anos.