“Fico triste, mas não tive alternativa”, diz Amazan sobre exonerações em Jardim do Seridó


O prefeito de Jardim do Seridó, Amazan Silva conversou com o Blog do Marcos Dantas sobre as exonerações que fez em seu secretariado, em coordenadorias e alguns cargos de confiança, nesta segunda-feira (31).

Confirmou o que o Blog já tinha informado, que as medidas foram sugeridas pelo Tribunal de Contas do RN, como forma de adequar o Município ao Limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Atualmente, Jardim do Seridó está com um Limite Prudencial de gastos com pessoal em torno de 62%, quando a LRF reza que o máximo é de 54%.

O prefeito garante já ter herdado o município com um limite elevado, mas esperava que o País reagisse economicamente, mas o efeito não foi o esperado. “Sei que é difícil você chegar para um servidor, que se capacitou para tal função, e dizer que ele não está mais na administração. Gestor nenhum gosta de exonerar funcionários. Fico triste, mas infelizmente não tive outra alternativa. Ou começava cortando na própria carne, inclusive no meu gabinete, quando exonerei minha assessoria de imprensa, ou ia começar a sacrificar serviços básicos oferecidos aos habitantes de Jardim do Seridó. Escolhi cortar na carne”, disse.

Amazan acredita que as exonerações desta segunda-feira sejam suficientes para atender a meta posta pelo Tribunal de Contas do RN, mas se for necessário, fará novas exonerações.

Eu espero que não, se for necessário, seremos obrigador a fazê-las. 95% das pessoas que foram exoneradas hoje entenderam a minha situação, e se colocaram a disposição de continuar ajudando o município, mesmo sem estarem nas funções gratificadas. 5%, confesso que se decepcionaram, mas é a função do gestor encontrar saídas para minimizar os impactos desta crise”.

O prefeito foi obrigado a fazer alguns remanejamentos e fusões. José Ailson, que era coordenador do Meio Ambiente passa a responder pelas secretarias de Obras e Agricultura; Rejane Medeiros pela Administração e Joaquim Alberto, além da Educação que já responde, ficará respondendo pela Secretaria de Cultura.