Estudo mostra resultados positivos da Lei Seca

Um estudo desenvolvido pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (Cpes), da Escola Nacional de Seguros, aponta que a Lei Seca salvou 41 mil vidas desde 2008 quando foi sancionada a Lei 11.705. O estudo – com a participação de estatísticos e especialistas em cálculos de seguros – indica ainda que a legislação para coibir embriaguez, reforçada pela Lei 12.760/2012, poupou ao país mais de R$ 550 bilhões, ao evitar perda de produto e renda.

Os responsáveis pelo estudo Lei Seca, Impactos Econômicos e a Contribuição do Seguro usaram dados do DataSus e também do Seguro do Trânsito – Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPvat) para chegar às conclusões.

“A tragédia dos acidentes de trânsito não gera apenas manchetes chocantes na mídia e a destruição de famílias. Além das perdas e dores das famílias, os custos para a sociedade não podem ser ignorados e assumem diversas formas. No campo das informações mensuráveis, o custo mais visível é o da hospitalização e reabilitação, tanto incorrido pelo governo como pelo setor privado (famílias e empresas). Apenas na hospitalização pela rede pública do Sistema Único de Saúde (SUS), o custo atinge R$ 137 bilhões, e não são conhecidas as despesas assumidas pelo setor privado”, afirma o relatório.