Educação na Rede: “A Escola Brasileira”


80224697622173453Toda instituição escolar necessita de uma estrutura interna. A estrutura organizacional das escolas no Brasil diferencia-se de acordo com as legislações de Estados e Municípios e, conforme as concepções de organização e gestão adotadas. No início do século XXI, a aceleração dos avanços tecnológicos, a globalização e as transformações nas relações de trabalho, trouxeram mudanças para as políticas de gestão e de regulação na educação do Brasil.

O estudo da escola como organização de trabalho não é novo, há toda uma pesquisa sobre administração escolar que remonta aos pioneiros da educação nova, nos anos 30. Esses estudos se deram no âmbito da Administração Escolar e, frequentemente, estiveram marcados por uma concepção burocrática e funcionalista, aproximando a organização escolar da organização empresarial. A escola no Brasil tem-se enquadrado num modelo de Burocracia Profissional, característica de organizações que atribuem grande importância aos profissionais da produção, a quem é atribuído um elevado grau de autonomia, ideal para um sistema essencialmente normativo onde o principal objetivo é a produção com fins reprodutivos.

A escola, enquanto instituição social é parte integrante da sociedade na qual está inserida. Assim, estando a sociedade organizada sob o modo de produção capitalista, a escola enquanto instância dessa corporação contribui tanto para manutenção desse modo de produção, como também para sua superação, tendo em vista que é constituída por relações sociais contraditórias. Desta forma, a administração escolar brasileira é, atualmente, vista por alguns como mediação, ou seja, como elemento mediador entre os recursos diversos existentes na instituição escolar (humanos, financeiros, materiais, pedagógicos, entre outros) e a busca dos seus objetivos (a formação cidadã).

Prof. Me. Petrúcio Ferreira