“Derrama sobre nós a chuva tão desejada do vosso amor”, diz Dom Antônio em mensagem da Festa de Sant’Ana


dom-antonio-oficialNesta festa de Sant’Ana estamos encerrando o jubileu de brilhante de nossa Diocese de Caicó (75 anos). Abrimos no dia 25 de novembro de 2014, quando celebramos 75 anos da sua criação pela Bula “E Diocesibus” do papa Pio XII. No ano passado, no dia 28 de julho, celebramos 75 anos da sua instalação canônica.

Neste ano, no dia 26 de julho, dia de Sant’Ana, celebraremos os 75 anos da chegada do nosso primeiro bispo diocesano, Dom José de Medeiros Delgado, que nos pastoreou de 1941 a 1951. Dois eventos marcarão este ano: a fundação da Fazenda da Esperança Dom Delgado, no último dia 21 de abril e a dedicação da Catedral no próximo dia 26 de julho.

Esta festa se insere no espírito do Ano Extraordinário da Misericórdia (8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro de 2016), por isso o tema geral da nossa novena será: “Sede misericordiosos como o Pai do céu é misericordioso” (Lc 6, 36).

Convido a todos os fiéis a vivenciarem esta festa como uma grande ação de graças, como um tempo de graça, rezando a oração do nosso jubileu diocesano: Pai Querido, Filho Amado, Espírito Consolador, celebrando os 75 anos da nossa Diocese de Caicó, nosso jubileu de brilhante:

Queremos vos agradecer por tantos homens e mulheres: bispos, padres, diáconos, religiosos e religiosas, leigos e leigas que deram e continuam dando a sua vida e o seu testemunho para que a Alegria do Evangelho se expanda nessas terras do Seridó.

Queremos vos pedir perdão pelas nossas infidelidades, pelas vezes que não fomos uma Igreja de portas abertas, uma Igreja em saída, sobretudo em direção às periferias geográficas e existenciais.

Queremos vos pedir para que assim como o brilhante é o diamante mais belamente lapidado, que nós, a exemplo da Senhora Sant’Ana, sejamos uma concha que carrega a pérola, que  é Maria,  apontando para o  tesouro do Reino, que é Jesus.

Somos muito gratos porque transformastes as nossas poucas folhagens e poucas sombras em barragens, poços e cisternas de esperança, fazendo-nos passar da dor para a alegria, subindo os nossos serrotes em direção a vós, cristalizando este diamante sob altas pressões e temperaturas da religiosidade e da fé.

Queremos vos pedir para sejamos lapidados pela vossa graça e nossa diocese seja cada vez mais a família dos filhos de Deus, propiciando a cultura do encontro.

Derrama sobre nós a chuva tão desejada do vosso amor para que umedecendo o sertão do nosso coração, faça renascer a caatinga do amor, da fé e da esperança.

Não a nós, Senhor, mas a vós damos a glória pelas bodas de brilhante de nossa querida diocese de Caicó, esta casa fraterna, onde não estamos sós no sertão do Seridó. Amém!

+ Antonio Carlos Cruz Santos, msc
Bispo de Caicó/RN