Marcos Dantas

Colóquio Nacional sobre as Profissões da Saúde reúne mais de 160 participantes em Caicó


coloquio-profissoes-saude_24nov16_cicero-oliveira-br15

A conferência “Formação política em saúde, democracia e militância”, ministrada pelo professor e ex-secretário municipal de saúde, Cipriano Maia, abriu o II Colóquio Nacional de Ciências Sociais e Humanas na Educação das Profissões da Saúde, da Escola Multicampi de Ciências Médicas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (EMCM/UFRN), na noite desta quarta-feira, 23, no auditório do CERES, em Caicó.

Sertanejo da região, o conferencista fez um diálogo da triangulação do tema. Ao criticar a especialização técnica dissociada da compreensão do contexto, Cipriano Maia observou que no momento, “a lógica da atual política de governo é concentrar excelência e não expandir conhecimento e formação profissional”. A programação da abertura contemplou, ainda, o lançamento da obra “As Ciências Sociais na Educação Médica”, do professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Campinas (FCM/Unicampi), Nelson Filice de Barros. Segundo conferencista da noite, Filice falou sobre Medicina de família e comunidade, saúde coletiva e formação crítica na Escola Médica.

Antes, na saudação à platéia, o diretor da Escola, George Dantas, colocou que não há espaço para a consolidação do ensino público superior laico, de qualidade e inclusivo, sem o investimento do estado, algo a ser interrompido por duas décadas a partir do novo projeto de educação pública estabelecido na PEC 55.

Prestigiado pelas direções das instituições superiores do Seridó, entre elas a FACISA e o CERES, o evento vai até esta sexta, 25, e reúne cerca de 160 participantes de vários estados. A novidade deste ano é o I Encontro Potiguar de Residentes em Saúde Coletiva/Saúde da Família, ambos coordenados pelo Prof. Dr. Lucas Pereira de Melo, para quem “a Escola e seus protagonistas devem sair mais fortalecidos desse simpósio”. Em dois anos de implantação do primeiro Curso de Medicina do Rio Grande do Norte no interior, a EMCM tem 120 alunos na graduação, Medicina, oferta três mestrados e 48 alunos residentes.