Marcos Dantas

Tenente Laurentino

Prefeita de Tenente Laurentino nomeou secretariado bem do “seu círculo familiar”


O secretariado da nova prefeita da Tenente Laurentino Cruz, Sueleide Batista é bem próximo ao seu círculo familiar. Seu irmão Assis de Severo é o chefe de gabinete; seu sobrinho Marinaldo Araújo responderá pela Secretaria de Administração; os enteados da prefeita, Ailton Laurentino Neto e Gildanyr Freitas responderão, respectivamente pelas pastas do Turismo e da Agricultura, dentre outros.

Justiça continua em busca de documentos públicos que estariam em poder do ex-prefeito de Tenente Laurentino


Oficiais de Justiça voltaram a cumprir mandados de busca e apreensão neste domingo (08), em endereços do ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Francisco Dantas (Titico). Desta vez, o alvo foi a residência do seu pai, conhecido como José Vicente, localizada na Zona Rural do Município onde Titico administrou.

A Justiça quer ter acesso a prováveis documentos da administração pública, além de computador da edilidade que estariam em poder do ex-prefeito. A decisão autorizando o mandado de busca e apreensão foi assinada pela juíza de Florânia, Mônica Maria Andrade da Silva.

Este foi o segundo cumprimento de mandado de busca e apreensão contra o ex-prefeito. No primeiro, dia 05 de Janeiro foram apreendidos em sua residência, 179 pastas de documentos públicos. A Justiça quer localizar ainda um servidor de informática, que estaria em poder de Titico, fato negado por ele.

Ex-prefeito de Tenente Laurentino não colaborou com a transição e é alvo de busca e apreensão


Policiais cumprem nesta sexta-feira (06) mandado de busca e apreensão na residência do ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Francisco Dantas de Araújo. O autor do pedido foi o próprio Município, com o argumento de que a equipe de transição da atual administração local teve cerceado o livre acesso às informações necessárias para a efetivação da transposição almejada.

Na data marcada, para recebimento e conferência do patrimônio municipal, não encontrou nenhum representante da administração local anterior para fazer a referida entrega da documentação e dos bens da municipalidade, constatando total abandono e desorganização e, ainda, o extravio dos softwares que geram e armazenam os dados de tributação, da contabilidade, do setor pessoal e de licitações e a frota de veículos totalmente avariada.

Na ação, o Município também alegou que as tentativas de diálogo e cooperação restaram frustradas, razão pela qual vem requerer judicialmente o acesso às informações e aos documentos públicos cerceados pela antiga gestão. O mandado concedido pela juíza de plantão, Ana Maria Marinho de Brito autorizou busca e apreensão no endereço declinado na petição inicial, qual seja, Sítio Pará Velho, Zona Rural do município de São Vicente, de tudo certificando o Oficial de Justiça acerca do cumprimento da presente decisão.

Vereador da oposição de Tenente Laurentino é preso por porte ilegal de arma


O vereador Tomaz Araújo Cruz conhecido popularmente por Tomaizinho (PSDB), foi autuado na noite deste sábado (01), por porte ilegal de arma o mesmo estava portanto um revólver calibre 38 municiado e 18 munições intactas num total de 24 munições, o parlamentar estava na companhia de um cidadão conhecido como Rodrigo de Boró.

Segundo informações da PM local um cidadão fez uma denuncia que duas pessoas estariam encapuzadas em Ford Ka branco com atitudes suspeitas. Após a denuncia a polícia fez a abordagem vindo a obter êxito pois na revista no interior do veículo foi encontrado a arma acima citada.

A prisão do vereador Tomaizinho foi realizada pela equipe do Capitão Styvenson Valetim o qual estava dando um reforço a Polícia Militar do município de Tenente Laurentino Cruz. Após o flagrante ambos foram presos e apresentados a 3º Delegacia Regional de Polícia em Caicó onde foram tomadas as providências cabíveis. Segundo informações os mesmos irão responder por porte ilegal de arma.

Em Tenente Laurentino, Sueleide lidera com folga Pesquisa AgoraSei


img-20161001-wa0016

Pesquisa divulgada pelo instituto AgoraSei em Tenente Laurentino Cruz aponta liderança folgada da candidata do PSDB a prefeitura daquele município. A candidata aparece com 19,8% de maioria sobre o seu adversário. Sueleide é viúva do saudoso Júnior Laurentino, que governou o município por 3 mandatos. Atualmente, seu grupo faz oposição ao atual prefeito Titico (PMDB), que apoia o candidato Inácio Macedo (PSB).

A pesquisa foi realizada no dia 21 de setembro, ouviu 400 pessoas nas zonas rural e urbana da cidade, tem intervalo de confiança estimado de 95%, margem de erro máxima estimada de 4.8 pontos percentuais para mais ou para menos, sobre os resultados totais da amostra e está registrada no TRE sob o protocolo RN-01349/2016.

Pergunta Estimulada

Sueleide – 53,0%
Inácio Macedo – 33,2%
Giliarde – 0,8%
Nenhum – 1,8%
Não Sabem – 11,2%

Pergunta Espontânea

Sueleide – 51,0%
Inácio Macedo – 32,8%
Giliarde – 0,8%
Nenhum – 2,5%
Não Sabem – 12,9%

Rejeição (múltipla escolha)

Sueleide – 26,2%
Inácio Macedo – 42,8%
Giliarde – 57,5%
Votaria em todos – 8,5%
Não Sabem – 8,2%

Ezequiel Ferreira emite nota de pesar pelo falecimento do ex-prefeito Júnior Laurentino


Junior Laurentino com Ezequiel em Campanha

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira, emitiu nota de pesar pelo falecimento do ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Júnior Laurentino (PSB), ocorrido na madrugada desta terça-feira (15).

NOTA DE PESAR

A comunidade seridoense foi surpreendida com a súbita notícia do falecimento de Junior Laurentino, aos 61 anos, vítima de infarto, nesta terça-feira (15).

Surpresa maior para os que nasceram em Tenente Laurentino Cruz, cidade governada pelo amigo Junior Laurentino por três mandatos. E, também, para a vizinha Florânia, de onde Tenente Laurentino Cruz foi emancipado há somente 23 anos.

Marcam na nossa memória o trabalho e o esforço do ex-prefeito para tornar Tenente Laurentino Cruz um município promissor. Conterrâneos e amigos de Júnior Laurentino ficam agora com a responsabilidade de manter o sonho de progresso para a cidade com quase 6 mil habitantes.

Que Deus conforte seus familiares e receba Júnior Laurentino na eterna paz celestial.

Sepultamento de Júnior Laurentino será as 16 horas em Tenente Laurentino Cruz


O sepultamento do ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Júnior Laurentino será as 17 horas desta terça-feira (15), no Cemitério da cidade. Antes, as 16 horas será celebrada uma missa na Igreja Matriz. Júnior faleceu por volta da 1 hora desta madrugada, vítima de um infarto agudo.Em Tenente, o corpo está sendo velado inicialmente na residência de seu sogro Severo, no Sítio Boa Vista e posteriormente na Igreja Matriz de Tenente Laurentino.

Morre Júnior Laurentino, ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz


Foto: Blog de São Vicente

A política do Seridó amanheceu de luto com o falecimento do ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Júnior Laurentino. Ele morreu, vítima de infarto nesta madrugada de terça-feira (15). Júnior ainda foi levado para um atendimento em uma unidade médica de sua cidade, mas não resistiu.

De acordo com familiares, o corpo será velado na igreja Matriz de São Sebastião de Florânia a partir de 6h30, e às 9h missa. Após a missa o cortejo fúnebre segue para Tenente Laurentino onde será o sepultamento à tarde, após a missa das 16 horas.

Entenda os crimes praticados pelos ex-prefeitos e demais envolvidos em Tenente Laurentino Cruz


Medicamentos

Uma das sentenças se refere ao procedimento 013/2007, que previa a aquisição de medicamentos e material de uso hospitalar, no valor de R$ 79.362,71. “(…) em verdade, não houve efetivo certame entre as empresas convidadas, mas a elaboração de um processo licitatório com o fim de dar aparência de legalidade à escolha da empresa contratada de forma direta”, destaca a juíza Sophia Nóbrega. A fraude foi montada com colaboração das empresas Phospodont e CRM, através de Ana Maria Pinheiro e Renilson Nery de Moura. Joarimar Tavares homologou o procedimento mesmo sem as assinaturas dos membros da comissão de licitação.

“Cooperativa fantasma”

Outra condenação diz respeito a fraudes no programa Compra Direta, que previa a aquisição de alimentos de pequenos produtores rurais para a merenda escolar. Júnior Lauretino constituiu uma “cooperativa fantasma” e simulava a venda de produtos dessa cooperativa ao Município. Além disso, agricultores eram arregimentados pelo grupo para cederem seus dados pessoais e constarem como participantes do Compra Direta.

Depoimentos de alguns desses agricultores confirmaram que eles nunca chegaram a fornecer os produtos à Emater, nem ao Município, porém receberam recursos como se tivessem efetuado as vendas e repassaram parte dos valores aos integrantes do esquema. Alguns dos produtos supostamente produzidos pela “cooperativa fantasma” veio, na verdade, de uma fábrica de polpa de frutas instalada na residência de Júnior Laurentino, da qual era sócio Manoel Vicente da Silva Filho.

Esses alimentos teriam sido produzidos pela Associação dos Produtores de Frutas de Tenente Laurentino Cruz, porém não surgiu qualquer prova da existência da associação que, em seu estatuto, de agosto de 2005, tinha a nora do ex-prefeito, Karydja Soares, como presidente. O próprio Joarimar confessou que seu antecessor possuía a fábrica e vendia polpa para a Prefeitura.

As notas fiscais eram subscritas pelo coordenador da Secretaria Municipal de Agricultura, José Edson da Silva, indicando o recebimento de produtos que não vieram, de fato, dos agricultores listados nos documentos. Manoel Vicente Filho agia junto com outros envolvidos principalmente como arregimentador de pessoas para figurarem como “laranjas”, a fim de justificar a produção. As irregularidades resultaram em um dano estimado de R$ 42.881 aos cofres públicos.

Obras diversas

Outra condenação diz respeito a fraudes em diversas licitações que incluíram irregularidades na constituição da comissão de licitação, ausência de assinaturas em documentos, certidões expedidas com data posterior à apuração das propostas, entre outros ilícitos. Um procedimento (008/2007) previa a drenagem e pavimentação de vias no valor de R$ 103.344,60 e foi deflagrado sem sequer terem sido nomeados os membros da CPL. Vários documentos não foram assinados e as empresas “concorrentes” foram escolhidas aleatoriamente.

Em outra licitação via convite, 009/2007, que previa a construção de escola com seis salas de aula, as irregularidades se repetiram. A vencedora foi a Construtora Seridó Oriental. Rosan Marçal e Expedito Júnior, sócios da empresa, atuavam na Associação dos Municípios do Seridó Oriental – AMSO, instituição presidida diversas vezes por Júnior Laurentino. Os projetos, inclusive, foram elaborados contando com o apoio do serviço de topografia da associação.

Favorecimento

Outras três ações trataram de contratos para obras nas quais também foram favorecidas empresas como a Construtora Seridó Oriental. “(…) as empresas de Rosan Marçal, dentre as quais a Seridó Oriental, se revezavam na execução das obras do Município de Tenente Laurentino Cruz ao longo de toda a gestão de Joarimar Tavares, sempre mediante fraudes em certames licitatórios”, aponta a Justiça Federal.

De acordo com o MPF, os envolvidos nas irregularidades chegavam a adiar o resultado das licitações para os sócios da Seridó conhecerem os valores dos “concorrentes”. Dois convites do ano de 2005 previam pavimentação de vias e ampliação do sistema de esgotos e foram vencidos pela Construtora Água Doce, também pertencente a Rosan Marçal. As planilhas utilizadas pelas empresas participantes da “licitação” e pela Prefeitura continham os mesmos erros de português. A obra de 93 mil recebeu um aditivo ilegal de 90 mil, quase duplicando o valor total do serviço, quando o máximo permitido em lei é um acréscimo de 25%. O aditamento, aliás, ocorreu 11 meses após a contratação, quando o prazo inicial previsto era de 90 dias para a execução total.

A Seridó Oriental ganhou ainda outras duas licitações por convites, em 2016, para drenagem, pavimentação de ruas e construção de um pórtico. Nesse último caso, a AMSO fazia a fiscalização da obra, ou seja: “é dado concluir que Rosan e Expedito, na condição de sócios-administradores, atuavam, ao mesmo tempo, como executores da obra e como fiscalizadores”.

Outros quatro convites, datados de 2006, tratavam da aquisição de alimentos para merenda escolar e produtos de limpeza e novamente o esquema funcionou, com os empresários “perdedores” tendo apenas apresentado as propostas, sem participar das supostas sessões de abertura dos preços. “Dessa forma, restou comprovado o favorecimento à empresa Maria Aparecida de Souza Medeiros, pois, tendo prévio conhecimento das propostas dos concorrentes, podia elaborar uma planilha inferior.” Os seis processos tramitam na Justiça Federal sob os números 00000215-57.2013.4.05.8402; 00000217-27.2013.4.05.8402; 00000218-12.2013.4.05.8402; 00000219-94.2013.4.05.8402; 00000220-79.2013.4.05.8402; e 00000221-64.2013.4.05.8402.

Confira as penas aplicadas aos condenados

Joarimar Tavares de Medeiros – sentenciado cinco vezes à perda da função pública; ressarcimento dos danos; suspensão dos direitos políticos por até oito anos; pagamento de multa de R$ 48 mil; e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de até cinco anos.

Aírton Laurentino Júnior – sentenciado seis vezes à perda da função pública; ressarcimento dos danos; suspensão dos direitos políticos por até dez anos; pagamento de multa de R$ 133 mil; proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de até dez anos.

Airton Laurentino de Medeiros Neto – sentenciado cinco vezes à perda da função pública; ressarcimento dos danos; suspensão dos direitos políticos por até oito anos; pagamento de multa de R$ 48 mil; e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos.

Karydja Soares Bezerra – sentenciada em quatro processo ao ressarcimento dos danos.

Rosan Marçal de Araújo – sentenciado quatro vezes à perda da função pública; ressarcimento dos danos; suspensão dos direitos políticos por até oito anos; multa no valor de R$ 34 mil; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Expedito Araújo de Lima Júnior – sentenciado três vezes à perda da função pública; ressarcimento do dano; suspensão dos direitos políticos por até oito anos; multa no valor de R$ 24 mil; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Gutemberg Teodoro Alves – sentenciado em dois processos à perda da função pública; ressarcimento do dano; suspensão dos direitos por oito anos; multa de R$ 17 mil; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Construtora Seridó Oriental Ltda. – sentenciada em quatro processo ao ressarcimento do dano; multa R$ 10 mil; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

GTA Construções Ltda. ME: sentenciada em dois processos ao ressarcimento do dano; multa R$ 10 mil; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Construtora Zero Hora (Processo 00000219-94.2013.4.05.8402) – ressarcimento do dano e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de três anos.

Francisco de Assis Alves dos Santos (Processo 00000219-94.2013.4.05.8402) – ressarcimento do dano e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de três anos.

Manoel Vicente da Silva Filho (Processo 00000215-57.2013.4.05.8402) – perda da função pública; ressarcimento do dano; suspensão dos direitos políticos por dez anos; multa no valor de R$ 85 mil; e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de dez anos.

Francisco de Assis de Morais Araújo (Processo 00000215-57.2013.4.05.8402) – perda da função pública; suspensão dos direitos políticos por oito anos; multa de R$ 42 mil; ressarcimento do dano; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de dez anos.

José Edson da Silva (Processo 00000215-57.2013.4.05.8402) perda da função pública; suspensão dos direitos políticos por nove anos; multa de R$ 42 mil; ressarcimento do dano; e proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de dez anos.

Renilson Nery de Moura (Processo 00000217-27.2013.4.05.8402): ressarcimento dos danos; suspensão dos direitos políticos por seis anos; pagamento de multa de R$ 8 mil; e proibição de contratar com o poder Público pelo prazo de cinco anos.

Ana Maria Pinheiro Ferreira (Processo 00000217-27.2013.4.05.8402) – Perda da função pública; suspensão dos direitos políticos por seis anos; multa de R$ 8 mil; ressarcimento do dano; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

CRM Comercial Ltda. (Processo 00000217-27.2013.4.05.8402) – Ressarcimento do dano e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Phospodont Ltda. (Processo 00000217-27.2013.4.05.8402) – Ressarcimento do dano e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Maria Elivânia da Silva Santos – Sentenciada em três processos ao ressarcimento dos danos

Maria Aparecida de Souza (Processo 00000220-79.2013.4.05.8402) – Perda da função pública; suspensão dos direitos políticos por sete anos; multa de R$ 9 mil; ressarcimento dos danos; e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos.

Maria Aparecida de Souza Medeiros EPP (Processo 00000220-79.2013.4.05.8402) – Proibição der contratar com o poder público pelo prazo de cinco anos e ressarcimento dos danos.

Rozenilda Lúcia Tomaz de Medeiros (Processo 00000221-64.2013.4.05.8402) – Perda da função pública; suspensão dos direitos políticos por seis anos; multa de R$ 7 mil; proibição de contratar com poder público pelo prazo de cinco anos; e ressarcimento dos danos.

Construtora Água Doce Ltda. (Processo 00000221-64.2013.4.05.8402) – Proibição de contratação com o poder público pelo prazo de cinco anos e ressarcimento dos danos.

Ex-prefeitos de Tenente Laurentino Cruz são condenados seis vezes por improbidade


Um total de seis ações do Ministério Público Federal (MPF) em Caicó resultaram em condenações de dois ex-prefeitos de Tenente Laurentino Cruz: Airton Laurentino Júnior e Joarimar Tavares. As sentenças, proferidas entre setembro e dezembro de 2015, apontam a participação de ambos junto a vários funcionários do Município e empresários em um esquema de fraude a licitações e a um programa de compra de merenda escolar. Das decisões cabem recursos.

O “modus operandi” geralmente envolvia a produção de planilhas falsas para simular a participação de diversas empresas nas licitações – algumas das quais seus proprietários negam ter concorrido a qualquer obra na cidade –, além de acerto prévio de preços e outras irregularidades que levavam ao favorecimento de construtoras e fornecedoras de produtos ligados ao grupo dos ex-prefeitos.

As fraudes ocorreram entre 2005 e 2008, quando Joarimar Tavares chefiava o Executivo Municipal. Porém o então prefeito havia não só sido indicado pelo anterior, Júnior Laurentino (como é conhecido Airton Laurentino Júnior), como abriu mão de concorrer à reeleição, deixando espaço para Júnior Laurentino retomar o cargo em 2008, tamanha sua influência. Mesmo durante a gestão de Joarimar, Júnior mantinha parentes em cargos fundamentais da Prefeitura que permitiram a concretização das irregularidades.

O filho, Airton Laurentino Neto, e a nora, Karydja Soares, se revezavam na Presidência da Comissão Permanente de Licitação (CPL). Em seu depoimento, Joarimar afirmou que dava a Airton Neto total liberdade para tratar dos convênios da Prefeitura com a Caixa Econômica Federal. De acordo com o MPF, a influência de Júnior Laurentino era tamanha que chegava a ser “identificado como administrador de fato pelos munícipes”.

Ex-prefeito de Tenente Laurentino é condenado por construir açude “público” em suas próprias terras


junior-laurentino-novaUma ação do Ministério Público Federal (MPF) em Caicó resultou na condenação do ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Airton Laurentino Júnior, conhecido como “Júnior Laurentino”, a cinco anos e nove meses de reclusão, em regime inicialmente semiaberto. Em 2001, ele utilizou recursos federais de um convênio da Prefeitura para construir um açude em sua propriedade. A obra, além disso, foi realizada por uma empresa contratada irregularmente e teve seus gastos superfaturados.

Junto com o ex-prefeito, foi condenado Francisco Figueredo de Medeiros Pereira, da F F Empreendimentos, contratada irregularmente para a obra, que na verdade foi executada pela própria Prefeitura. O MPF apontou que a licitação foi simulada e não chegou a haver concorrência de fato, tendo sido montada para garantir a contratação da F F. O empresário foi sentenciado a quatro anos e seis meses e poderá apelar em liberdade, assim como Júnior Laurentino.

O açude Riachão é fruto de um convênio firmado em 2000 com o Ministério da Integração Nacional, prevendo R$ 90 mil em repasses e contrapartida de R$ 8.464,95 do Município. No esquema ilícito montado pelo ex-prefeito, a Prefeitura executou os trabalhos e os réus desviaram o dinheiro destinado à empresa, cabendo à F F Empreendimentos, que intermediava o repasse, um percentual de 8% sobre o valor das faturas e da locação do maquinário.

Laudo da Polícia Federal apontou um superfaturamento de R$ 43.493,16 na obra, tendo sido executados apenas 79,12% dos serviços previstos. A denúncia do MPF ressaltou ainda que os cheques supostamente destinados à empresa foram sacados na boca do caixa e emitidos nominalmente à Secretaria Municipal de Finanças de Tenente Laurentino Cruz.

O primeiro cheque foi pago apenas dois dias após a assinatura do contrato e equivalia a mais de 30% da obra, percentual impossível de ser executado em 48 horas. De acordo com a ação penal, o valor do contrato com a F F estava abaixo, inclusive, dos preços da tabela do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi). Isso só foi possível porque, de fato, o açude foi erguido com maquinário e pessoal da Prefeitura e não com recursos da empresa.

Documento – Júnior Laurentino chegou a apresentar uma escritura pública dando a entender que o terreno onde foi erguido o açude teria sido doado pelos proprietários anteriores ao Município. Porém o documento sequer continha a assinatura dos donos anteriores da terra, tendo a viúva de um deles confirmado que a área teria sido revendida ao próprio ex-prefeito, no início dos anos 90.

Ministério Público Federal consegue suspender curso irregular em Tenente Laurentino


Tenente Laurentino Cruz

O Ministério Público Federal (MPF) em Caicó obteve uma liminar impedindo que a Faculdade Integrada do Brasil (Faibra) ofereça cursos em Tenente Laurentino Cruz sob a promessa de que os mesmos possam ser aproveitados para obtenção de um diploma de graduação em Pedagogia. A ação do MPF tem como réus o Instituto Educacional de Menezes Ltda. e a mantenedora da Faibra, a Associação Educacional Cristã do Brasil – AECB.

As instituições, irregularmente, oferecem cursos de aperfeiçoamento com o compromisso de serem aproveitados posteriormente em uma graduação em Pedagogia. Porém o credenciamento da Faibra junto ao MEC permite a realização de cursos exclusivamente na capital do Piauí, Teresina. Enquanto o Instituto Educacional de Menezes não possui credenciamento junto ao MEC para oferecer qualquer tipo de curso. Foto: Divulgação.

Ex-prefeito e mais quatro pessoas são condenadas por irregularidades no Peti de Tenente Laurentino


Uma ação do Ministério Público Federal (MPF) resultou na condenação de um grupo envolvido no desvio de recursos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), no ano de 2005, no Município de Tenente Laurentino Cruz. Foram condenados o ex-prefeito Joarimar Tavares de Medeiros; dois ex-integrantes da Comissão Permanente de Licitação (Airton Laurentino de Medeiros Neto e Karydja Soares Bezerra); o assessor jurídico Sinval Salomão Alves de Medeiros; e o ex-secretário de Finanças, Gildanyr Freitas de Medeiros. Da decisão ainda cabem recursos.

As irregularidades incluíram dispensas indevidas de licitação, favorecimento de fornecedores, aquisição de alimentos fora do período de funcionamento do programa, saque de cheques na “boca do caixa” e aquisição de produtos sem qualquer relação com o estado de emergência decorrente da estiagem, argumento utilizado à época para a dispensa das licitações. Foram pagos, até mesmo, medicamentos adquiridos no mandato do prefeito anterior.

Continue lendo

Júnior Laurentino quer disputar prefeitura de Tenente Laurentino Cruz


O ex-prefeito de Tenente Laurentino Cruz, Júnior Laurentino, vem recebendo cada vez mais incentivos populares para disputar a Prefeitura Municipal em 2016. Júnior já foi prefeito por três vezes. Em 2016, deverá enfrentar nas urnas a atual vice-prefeita Ana Maria, já que o prefeito Titico Araújo vem enfrentando um grande desgaste administrativo e teria anunciado que não vai concorrer a reeleição.

Mãe de aluno denuncia nas redes sociais descaso na educação em Tenente Laurentino Cruz


Desabafo_Tenente_laurentino

A laurentinense Graças Fernandes usou as redes sociais para denunciar o descaso que vem ocorrendo na educação pública municipal em Tenente Laurentino Cruz, na Serra de Santana. Segundo ela, está faltando merenda nas unidades escolares, e, com isso, as aulas vem sendo reduzidas. Outro ponto crítica são as instalações físicas das escolas, que durante as chuvas as aulas voltam a ser suspensas devido infiltrações nas salas de aulas.

O que está acontecendo na educação de Tenente Laurentino? está tendo muito pouca aula. Hoje mesmo, as aulas só vão até as 09 00h o motivo: Falta de merenda, e segundo comentários será assim a semana toda. Também tem o problema do telhado, toda vez que chove dispensam os alunos, pois chove mais dentro do colégio do que fora. Os professores devem fazer magica para fechar o ano letivo. Será que falta de verba ou excesso de incompetência. Nós queremos o melhor para os nossos filhos. Vamos deixar os cargos comissionados de lado e cuidar do que é realmente importante pra população”, desabafou no Facebook.

Rodovia de acesso à Tenente Laurentino Cruz também está precisando de urgente recuperação


IMG_20150409_124844546

Quem precisa trafegar na RN 087 que liga as cidades de Florânia e Tenente Laurentino Cruz acaba se deparando com uma rodovia bastante esburacada, que coloca em risco a vida de todos os motoristas que diariamente trafegam pelo local. A rodovia é de responsabilidade do Departamento de Estada e Rodagens do Rio Grande do Norte (DER/RN). São 12 km de muitos buracos e pouca sinalização em curvas perigosas.

Para se ter uma ideia da situação, o motorista somente consegue acessar a via com segurança ao reduzir a velocidade do veículo para até 10 km/h, caso contrário o condutor pode danificar o veículo, além de correr um grande perigo de acidente. Contudo, o perigo não fica somente no controle da velocidade. A situação piora quando chega à noite e além dos riscos anteriores, os motoristas ainda podem ser assaltados. Ainda durante a passagem pela estrada, os motoristas precisam de atenção redobrada para livrar das “imensas crateras” que acabaram ocupando toda a pista.

Empresário de Tenente Laurentino realiza, por conta própria, tapa-buracos na RN 087


11067478_450931675061937_6454906471290516548_n

Coube ao empresário Paulo Araújo, do ramo de móveis e eletrodomésticos, realizar com recursos próprios um tapa-buracos na RN 087, que liga Florânia a Tenente Laurentino Cruz. No Facebook, o jovem laurentinense Rafael Henrique agradeceu a ação do empresário.

“Graças a Deus alguém se mobilizou na nossa maravilhosa cidade de Tenente Laurentino, já que não tive coragem e ninguém teve inclusive as autoridades da Prefeitura, o empresário Paulo Móveis teve a coragem e solidariedade de ajeitar a nossa precária ladeira, principal acesso da cidade”, agradeceu Rafael Henrique.

Em Tenente Laurentino, grupo da vice-prefeita já articula formação de chapa para 2016


Neto e Ana Maria

Em Tenente Laurentino Cruz, as eleições de 2016 já entraram em pauta. Nos bastidores, o secretário-Chefe do Gabinete Civil, Neto Costa, já convence os mais próximos de que o prefeito Titico Araújo (PMDB) não deve concorrer à reeleição. O prefeito passa por desgastes políticos.

Segundo informações repassadas ao Blog do Marcos Dantas, o chefe de Gabinete já vem trabalhando a formação da chapa governista para 2016, tentando emplacar como principal nome do grupo a atual vice-prefeita, Ana Maria (DEM). O grupo também tenta convencer o vereador Inácio Macedo (PMDB) como companheiro de chapa. “O secretário pode até negar de público, mas nos bastidores existem essas conversas”, garantiu nossa fonte. Foto: Divulgação.

Assis de Severo toma posse como presidente da Câmara de Tenente Laurentino


Assis de Severo

O vereador Assis de Severo (PTB) foi empossado nesta quinta-feira (08), como presidente da Câmara Municipal de Tenente Laurentino Cruz para o Biênio 2015-2016. O novo presidente é ligado politicamente ao ex-prefeito Júnior Laurentino (PSB), que faz oposição ao prefeito Titico Araújo (PMDB).

Também irão compor a nova Mesa Diretora da Câmara de Vereadores, a vice Maria Aparecida (PSB), os vereadores Paula Galdino (PSB) como 1ª secretária, e Tomazinho (PSB) como 2º secretário.Assis execre o segundo mandato parlamentar, sendo considerado um dos vereadores mais atuantes de Tenente Laurentino Cruz. Foto: Edson Dantas.

Virou moda: Eleição da presidência da Câmara de Tenente Laurentino é anulada


A presidenta da Câmara Municipal de Tenente Laurentino, Cida da Saúde baixou um ato anulando eleição para presidência da Câmara para o Biênio 2015/2016. Cida sustenta que a sessão ocorrida no dia 1° de janeiro de 2013, que elegeu o vereador Assis de Severo (PTB) presidente, foi feita de forma ilegal. O ato de anulação foi publicado nesta segunda-feira (18), no Diário Oficial da FEMURN.  Clique aqui e confira matéria na integra.

A presidenta da Casa também resolveu de imediato convocar uma Sessão Extraordinária para a realização de uma nova eleição dos membros da Mesa Diretora para o próximo Biênio, a qual será realizada no próximo dia 26 de dezembro do corrente ano às 17:30 no Plenário.