Marcos Dantas

Entrevistas

Roberto Germano: “Não tenho preferência por adversário. Enfrento qualquer um”


Na estréia do Programa “Marcos Dantas Entrevista”, o prefeito e candidato a reeleição de Caicó, Roberto Germano (PMDB) reconhece os erros e acertos em sua administração, diz que sua pretensão é ampliar a base de partidos aliados, comenta o possível rompimento do PR com seu Governo, e ainda diz não ter preferências por adversários, e está pronto para enfrentar qualquer um. Mesmo não escondendo certa satisfação por, quem sabe derrotar, o que seria pela terceira vez consecutiva seu principal adversário político em Caicó, o atual deputado estadual Vivaldo Costa (PROS).

Confira Roberto Germano na estréia do Marcos Dantas Entrevista:

Juiz caicoense é o autor do projeto pioneiro de Educação Cidadã que tornou-se Lei no RN


Dr. Jarbas apresenta a Família Cidadã criada pelo projeto - Fotos: Ilmo Gomes

Dr. Jarbas apresenta a Família Cidadã criada pelo projeto – Fotos: Ilmo Gomes

Partiu da mente de um caicoense, o juiz Jarbas Bezerra e de sua colega de trabalho, advogada Lígia Limeira a idéia de se criar um mês inteiro para a prática de ações de cidadania. E o projeto que começou a ser desenhado ainda em 2004 tornou-se Lei em 2013 com a aprovação unanime na Assembléia Legislativa e a sanção da governadora Rosalba Ciarlini. Graças a esta ação de Jarbas e Ligia, o Rio Grande do Norte pode se orgulhar em ser o primeiro Estado brasileiro a criar o Setembro Cidadão. Para entender como funciona esse projeto, o Blog do Marcos Dantas conversou com o juiz, que como bom caicoense esteve na cidade para prestigiar as festividades de Sant’Ana.

Eu e Ligia chegamos a conclusão que o Brasil precisa de uma educação cidadã urgentemente. O ano passado no estudo das manifestações que poderia ter sido de forma ordeira e se transformou em uma grande anarquia, que as pessoas infelizmente sequer hoje sabem fazer manifestações, achando que depredando os bens públicos vai solucionar, a gente teve essa idéia de criar um projeto de educação cidadã no Estado”, explicou.

Além de envolver todos os municípios potiguares, já que pela Lei as cidades estão obrigados a desenvolverem ações de cidadania, o projeto também quer entrar nas escolas públicas e privadas com a Cartilha “Cidadania de A à Z”. Para isso, Jarbas e Ligia criaram a Família Cidadã com personagens cujos nomes estão ligados a valores. Os principais são Edu e Cidinha, referências a Educação e Cidadania. A família deles ainda tem os avos Seu Naci e Dona Val, Bras, Tole, Jus, Sol e Re, referências a Nacionalidade, Valores, Brasil, Tolerância, Justiça, Solidariedade e Respeito. Estudam em uma escola chamada Educa (de Educação) com a professora Alfa (de Alfabetização). A turminha ainda tem três amiguinhos descendentes de outras nacionalidades, Libe, Igua e Fra que vem de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. E o animal de estimação também não poderia faltar, o Ama (que vem de Amazônia).

De uma forma lúdica a gente vai tentar recrear a criança e educar com cidadania, porque todos os nomes estão vinculados. E a gente sabe que a criança naquela fase dos porquês ela fica perguntando é porque se chama assim? Ai você vai explicar com o nosso manual de cidadania. A criança é uma esponja, o que ela absolve de bom ou ruim ela vai levar para a vida inteira, e na hora que ela começar a absolver esses conceitos positivos de cidadania, dificilmente ela vai esquecê-los”, destacou o juiz.

jarbasbezerraaMarcos Dantas – E hoje inclusive já é uma Lei Estadual sancionada?
Jarbas Bezerra – Já. Nossa meta inicial foi fazer com que o Estado do RN passasse a ser o primeiro do Brasil a ter uma Lei de Educação Cidadão, criando e instituindo um mês dedicado a Cidadania. Eu e Ligia fomos a governadora, entregamos o requerimento foi muito bem aceito, foi mandado a consultoria-geral do Estado, em seguida para a Assembléia, aprovado por unanimidade e entrou em vigor no dia 27 de Agosto de 2013.

A idéia é que durante o mês de Setembro, considerado pela Lei o mês da cidadania os municípios realizem várias atividades?
Isso. Assim como nós temos o Outubro Rosa que surgiu em 2002 em Nova Iorque, o Novembro Azul na Austrália que são campanhas importantíssimas para a questão de saúde pública, nós entendemos que sofremos de um problema pior que é a falta de educação cidadã, que acho que é a pior das doenças. Em virtude disso, nós resolvemos fazer esse esboço de Lei, encaminhamos aos órgãos competentes e o Rio Grande do Norte passou a ser o primeiro do Brasil a ter o Setembro Cidadão.

Que ações seriam estas?
Estas ações inicialmente seria de cidadania e a simbologia seria você iluminar sua cidade deixando tudo verde e amarelo, porque são as cores que representam as cores brasileiras.

Infelizmente no decorrer do tempo você vê pessoas instruídas, que a gente chama de doutores, e que essa educação cidadã pra eles inexistem”

Como os Municípios podem participar?
A Lei obriga que cada município participe, porque no RN essa Lei é estadual e ela diz que no mês de Setembro, o Estado deve praticar atos de cidadania. Como o Brasil é o único país onde existem Leis que pegam e não pegam, a lei é obrigatória a todos, então os nossos governantes, sejam governadores ou prefeitos tem que colocar em prática essa lei, que prevê a educação cidadã. Por isso estou aqui em Caicó onde fui muito bem recebido pelo prefeito e os secretários de administração e de educação. Hoje não há mais espaço para a omissão. Os governantes tem que participar destas campanhas até porque todos ganham com ela, e a população deve ser esclarecida para cobrar essa educação cidadã, que ficou relegada nestes últimos 40 anos. Temos pessoas que saem das universidades, muito bem preparados de forma técnica, mas com relação a educação mínima, quando temos a obrigação de respeitar o direito do outro, faixas de pedestres, espaços destinados a portadores de necessidades especiais, as pessoas estacionam em vagas de deficientes, jogam lixo pela janela do carro ou na rua, e tudo isso é uma questão de educação cidadã, e infelizmente no decorrer do tempo você vê pessoas instruídas, que a gente chama de doutores, e que essa educação cidadã pra eles inexistem. Muito comum pessoas que moram fora do país há décadas e quando chegam no Brasil diz que melhoramos a economia, mas a educação das pessoas… Quando a gente fala na educação não é a de como pegar num garfo, mas de respeitar o direito dos outros, e usar o seu direito dentro do seu limite. As pessoas perderam o limite das coisas e ainda somos um país que se vangloria quando alguém corta fila. Esses conceitos mínimos de cidadania ficaram relegados a um plano quase do esquecimento.

Cada município ficará a vontade para fazer suas ações?
A única limitação legal que existe é que não se pode mudar o mês e nem o dia da Educação Cidadã, que seria o dia 10 de Setembro. Mas cada cidade, dependendo da sua cultura local pode adequar a Lei, já que cada cidade tem a sua característica própria, então ele pode moldar. O ano que vem em Natal já tem um comprometimento com a prefeitura para fazer concurso da casa ou edifício melhor adaptado ao verde e amarelo. A cidade de Natal vai construir um monumento Setembro Cidadão, vai fazer um festival de gastronomia onde será escolhido o prato Setembro Cidadão, vai ter um jogo na Arena das Dunas, uma maratona, peças de teatro, virada da Cidadania. Cada município tem a liberdade de realizar aquilo que achar que deve, mas deixando claro que este mês é onde iremos avivar o sentimento da educação cidadã, mas ele tem que ser feita todos os dias.

Vamos trabalhar muito com adulto que é o que está doente com falta de educação cidadã”

Qual a dinâmica que vocês desenvolveram para atingir o público infantil, que é onde realmente a educação cidadã começa?
Foi a nossa segunda preocupação, exatamente pensar na criança, porque elas não ficarão esquecidas durante o Setembro Cidadão, já que vamos trabalhar muito com adulto que é o que está doente com falta de educação cidadã, e para que a gente não vá ter os futuros doentes que seriam as crianças, nós criamos um programa chamado “Cidadania de A a Z”, que é uma cartilha que será usada tanto nas escolas públicas e privadas que aderirem ao projeto. Criamos dois personagens, um menino que tem oito anos de idade chamado Edu, diminutivo de Educação e a menina se chama Cida, diminutivo de Cidadania. Dentro da criação desses personagens, que tem as vestimentas nas cores da bandeira do Brasil, que é isso que a gente quer estimular na criança esse sentimento civil, e não se confundir que a gente está pregando aqui o nacionalismo exacerbado, que infelizmente na época da ditadura militar se instalou no País, a gente não quer isso de volta e nem queremos a anarquia atual. A gente quer o meio termo, e o meio termo é o que é aplicado nos países desenvolvidos do mundo, como Estados Unidos, Alemanha e Japão. E disso daí que a gente sabe que é na família onde surge tudo, criamos a Família Cidadã, que são os avos deles que se chama Seu Naci de nacionalidade e Dona Val de valores, porque entendemos que uma nação se faz com valores. Ai eles tiveram dois filhos Bras de Brasil e Tole de Tolerância. Bras de casou com Jus (de Justiça) e Tole se casou com Sol (de Solidariedade). E dai surgiu Edu, Cidinha e Cid que já tem 15 anos de idade, é portador de deficiência de locomoção porque foi vítima de um acidente automobilístico, já que somos um dos países com o maior índice de acidentes. E o outro casal Tole e Sol tiveram dois filhos que são primos de Edu e Cidinha, que são Re (de respeito) que é portador de deficiência visual e Paz. Essa criançada estuda numa escola chamada Educa (de Educação) e a professora se chama Alfa (de alfabetização). E qualquer pais do mundo que seja evoluído e que prima pela liberdade, igualdade e fraternidade, criamos três personagens que são amiguinhos deles que um é descendente de índio e se chama Libe (de Liberdade),  o afrodescendente se chama Igua (de Igualdade) e a asiática se chama Fra (de Fraternidade). Eles tem um pássaro que se chama AMA (de Amazônia). De uma forma lúdica a gente vai tentar recrear a criança e educar com cidadania, porque todos os nomes estão vinculados. E a gente sabe que a criança naquela fase dos porquês ela fica perguntando é porque se chama assim? Ai você vai explicar com o nosso manual de cidadania. A criança é uma esponja, o que ela absolve de bom ou ruim ela vai levar para a vida inteira, e na hora que ela começar a absolver esses conceitos positivos de cidadania, dificilmente ela vai esquecê-los.

Carlson Gomes ainda não decidiu se vota em Henrique ou Robinson


IPEM-Carlson-GomesEm entrevista à Rádio Cabugi do Seridó nesta quinta-feira (10) o candidato a deputado estadual, Carlson Gomes (DEM) confirmou que ainda não decidiu em quem votar para o Governo do Estado. Não descartou votar Henrique, e muito menos em Robinson, mas deixou claro que tanto ele, como seu ex-prefeito Geraldo Gomes só anuncia essa decisão após a Festa de Sant’Ana, e de ouvir o seu grupo político.

Na entrevista, Carlson reconheceu a possibilidade de seu pai seguir nestas eleições, caminho oposto ao do líder senador José Agripino. “A possibilidade existe. O próprio senador Agripino quem disse que não irá fazer intervenção local nos municípios, cada município tem sua realidade.  Isso é noticiado em todo o RN, que alguns prefeitos e vereadores estão divergindo da decisão por ele tomada. Então, temos que ver a questão local tanto eu quanto meu pai”.

Clique aqui e leia a entrevista na integra

“Milton Nascimento quer vir entender porque um dia cantou a Cantiga Caicó”, diz Sinval Souza


1505323_270514536440363_1486275687_nComo o Blog do Marcos Dantas já tinha adiantado, foi pelo desejo de conhecer Caicó, que o cantor da MPB Milton Nascimento aceitou participar do Projeto “Por amor a Caicó”, idealizado pelos empresários caicoenses Sinval Souza e Walfredo Dantas, o primeiro residente em Natal e o segundo em São Luiz (MA). Em entrevista neste sábado ao Blog, Sinval disse ter conhecido Milton através de Walfredo, e de lá pra cá uma verdadeira amizade foi criada entre os três. Tanto que quando se discutia com o cantor a idéia do projeto, ele foi o primeiro a se entusiasmar.

Através da amizade com Walfredo Dantas que trouxe o Milton ano passado para São Luiz, criou-se uma facilidade para o projeto Por amor a Caicó. Milton nascimento ficou apaixonado por essa idéia, e a cobrança dele começou. Já está confirmado o show para o dia 17 e vai dar tudo certo”, disse Sinval.

Milton Nascimento promete para a noite do dia 17 um show completo, inclusive com sua banda, e convidados surpresas, além dos artistas da terra Dodora Cardoso e Rodolfo Lopes. Para isso, uma estrutura de som e iluminação será montada. Para pagar o custo da estrutura, Sinval e Walfredo foram em busca de parceiros, e decidiram comercializar uma parte da área, com a montagem de camarotes e áreas vips, mas nada que fuja da realidade financeira da região. Grande parte da renda será destinada ao Grupo Reviver, que atende pessoa com câncer em Caicó.

Tivemos que viabilizar uma parte privada, até para cobrir os custos, que não é um show barato”

Marcos Dantas – É verdade que a idéia do show em Caicó surgiu do próprio Milton, pelo interesse dele conhecer nossa cidade?
Sinval de Souza – Surgiu do próprio Milton. Ele próprio quando nos abraçamos na despedida no Rio de Janeiro ele cantou um pouco a Cantiga de Caicó, e isso nos sensibilizou. Ele é curioso, quer saber sobre a cidade, é devoto de São Sebastiao, mostramos as fotografias do espaço onde vai ser o evento, e daí ele ficou mais curioso para conhecer a cidade.

A programação do show está toda definida?
Já está sim. Eu vim para São Luiz pra conversar com Walfredo Dantas, que é um dos organizadores. Então a gente vai fazer um evento para lançar no dia 01 de Julho e mostrar a imprensa e patrocinadores toda a estrutura de como vai ser.

Além de Milton também teremos a apresentação de artistas da terra?
Com maior prazer. Eu já levei um CD de Dodora Cardoso para Milton, ele já conhece. Ela é quem vai abrir o show pois é a cara de Caicó. O encerramento vai ser com o forró pé-de-serra de Rodolfo Lopes, que é muito bom. E no meio do espetáculo estamos vendo outros profissionais da região, como apresentação de teatro dentro do show, vai ser uma coisa bem cultural.

O show será beneficente?
A parte pública vai ser bem maior do que a privada. Ele quer encontrar com o povo, então tivemos que viabilizar uma parte privada, até para cobrir os custos, que não é um show barato, e já pensando num projeto em Caicó que é o Reviver, que é muito bacana, e uma parte dessa renda vai ser em prol desse projeto.

O Milton Nascimento está empolgado em conhecer Caicó?
Ontem falei com o empresário dele, e me disse que ele não fala em outra coisa. Levei uns biscoitos de Caicó agora quando tive na casa dele no Rio de Janeiro, e ele se empolgou mais ainda, para trazer mais biscoitos de Caicó, e conhecer esse povo. Ele acha o povo muito carismático, diferente, e quer ir pra Caicó para entender porque um dia cantou a Cantiga Caicó.

Ele contou pra você como a Cantiga Caicó chegou até o Milton?
Essa música foi uma pessoa de Recife, Teca Calazans que mandou pra ele. E ele se encantou por falar do sertão, do Vaqueiro. Mesmo sem conhecer a cidade, a história da música fez ele se encantar. Quando mostrei um vídeo da internet relacionado a Caicó, ele ficou impressionado com a Igreja, com o Poço de Sant’Ana, o Arco do Triunfo. Vai ser uma homenagem a Caicó e vice e versa, porque ele está se sentindo homenageado em estar sendo levado para Caicó. E na verdade é uma homenagem pra gente, ter uma sumidade como Milton Nascimento em Caicó.

Então além do show, você está preparando toda uma programação para ele conhecer Caicó?
Com certeza. Pra ele entender um pouco da cidade estamos organizando uma coisa muito bonita. Como não é um evento comercial, vamos ter homenagens a ele no show. Tudo de som, iluminação e estrutura está sendo contratado em Caicó, porque quero mostrar que somos capazes de fazer com tudo de Caicó.

Nos últimos meses você tem abraçado a causa do Grupo Reviver. Como surgiu esse interesse?
Eu já sou envolvido com outras causas sociais. E através da médica Graça Fernandes junto a Heitor Gregório, quando eles foram fazer a feirinha em Natal, nós fomos um dos colaboradores e divulgadores do projeto. Como já faço trabalho ligado a Liga do Câncer em Natal e a Linga Infantil, quando soube que Caicó tinha, nada mais justo como caicoense do que fazermos esse projeto. A maior gratificação de estar trazendo Milton Nascimento pra Caicó, é saber que ele ainda ajudará uma instituição.

Mesmo no espaço privado, os preços serão acessíveis?
Vai ser acessível. Serão três áreas de camarotes, Frontstage e pista. Teremos dois bares dentro do espaço para comercializar. É todo um levantamento de estrutura que não é pequena. A princípio nós pensamos num show menor com um quarteto, mas o próprio Milton quer levar o show completo, até com convidados que ele não disse quem será. Vai vir uma cantora, um pianista, ele quer mostrar o melhor do espetáculo dele. É um investimento alto e estamos fazendo com o apoio de patrocinadores. A Prefeitura de Caicó nos apoiou cedendo o espaço, que é maravilhoso, e a área privada será para população que desejar pagar, e para os patrocinadores.

Ouça a entrevista de Sinval de Souza ao Blog:

Ao anunciar apoio à Álvaro Dias, Antônio Petronilo fala em gratidão


DSC00014Ainda na entrevista que concedeu à Rádio Cabugi do Seridó, o ex-prefeito de Parelhas Antônio Petronilo confirmou que com a sua desistência, automaticamente passa a apoiar o projeto do ex-deputado Álvaro Dias (PMDB), que é de retomar sua cadeira na Assembléia Legislativa. E para quem apostava em clima de divergência entre os dois, se enganou. Na entrevista, Petronilo citou várias vezes a palavra “gratidão” ao anunciar apoio a Álvaro.

Rádio Cabugi – Você acha que o ideal é mesmo apoiar a pré-candidatura de Álvaro Dias?
Antônio Petronilo – Eu tenho uma história de gratidão com ele, quando ele foi deputado federal e estadual, foi o deputado do Estado que nos ajudou aqui em Parelhas. O que a gente ver são os deputados que vem de fora, levam os votos, o povo diz que tem muito voto comprado pelo meio, não sei se é verdade, mas na hora de ajudar, ele vai ajudar a terra dele. Já Álvaro não, o gabinete dele era a nossa casa lá em natal, todos os nossos vereadores viviam lá e quando eu fui candidato da outra vez, ele renunciou para eu entrar. Me passou os apoios dele em Natal. É uma espécie de gratidão e confiança de minha parte. Ele é uma pessoa que tem muita experiência na Assembleia, com chances de se for eleito, chegar à presidência da Assembléia e pra nós fica muito bom.

Você acredita que ele poderá herdar suas bases eleitorais?
Eu já confio nele há muito tempo, já sofremos juntos, quando queríamos uma coisa ele nos atendia. Isso tudo aconteceu, e é uma história. Se sendo uma história a gente sabe que pode confiar. É claro que a quantidade que a quantidade que estão chegando, é bom que haja renovação, mas ele é muito experiente, e será importante na Assembléia para os novos deputados. Tem uma folha de trabalho muito boa, foi presidente da Assembleia duas vezes. De forma que na opinião ele merece.

Ouça Antônio Petronilo:

Antônio Petronilo pede desculpas aos aliados e reconhece que problemas de saúde lhe tiraram da disputa


petronilo_-_parelhas_2

O suplente de deputado estadual e ex-prefeito de Parelhas, Antônio Petronilo (PMDB) quebrou o silêncio, e falou sobre a desistência de sua pré-candidatura nas eleições deste ano. Na entrevista que concedeu ao radialista Magno César, dentro do Jornal da Cabugi (Rádio Cabugi do Seridó), Dr. Antônio não culpou ninguém, com exceção de sua própria saúde, afetada por um AVC ao qual foi vitimado recentemente. Mesmo reconhecendo que muitos dos seus eleitores lamentaram a sua desistência, ele disse ter entendido que o melhor era cuidar da saúde, e estar mais próximos de seus familiares e amigos, do que encarar uma disputa estadual.

Eu mesmo fiquei preocupado porque a gente sabe que o povo espera da gente, confia e tudo, algumas pessoas ficaram triste, eu também fiquei, mas é assim mesmo. A gente não pode passar o boio na frente do carro. As pessoas estrão compreendendo, e a saúde da gente é importante. E meus filhos estão vindo pra cá, colocando empresas aqui e quero ficar perto deles. Quero pedir desculpas, a culpa não é minha, é da minha saúde, mas estou quase restabelecido”, analisou.

Ouça a declaração:

Dom Antônio: “Por trás de um político corrupto, existe uma legião de pessoas que se corromperam”


foto (1)

O bispo da Diocese de Caicó, Dom Antônio Carlos voltou a criticar a classe política, pela falta de ações concretas de solução para os problemas com as estiagens. A declaraçã0 foi durante sua entrevista coletiva à imprensa caicoense, na manhã desta sexta-feira (30), no Centro Pastoral Dom Wagner. “Quantas pessoas lucram com a seca? Será se não se resolve por falta de uma vontade política? Quando a gente pensa em Israel que era um deserto, e hoje é um país fértil. Como é que um deserto pode ser fértil, e a gente não resolve essas questões aqui no Brasil. Falta vontade política e tem desvios”.

O bispo negou ter criticado ou dado um “carão” nos políticos durante sua posse no último sábado. Ele disse que seu discurso foi um chamamento para a responsabilidade da própria população. “Somos nós quem elegemos os políticos. Não adianta a gente ficar jogando pedras e depois eleger. Agora virão eleições em outubro, e é um momento nosso d escolhermos. Não adianta a gente vender o nosso voto e depois ficar dizendo que o político é corrupto. Por trás de um político corrupto, existe uma legião de pessoas que se corromperam”.

Ouça as declarações de Dom Antônio sobre a estiagem, Barragem de Oiticicas e Política:

Dom Antônio demonstra preocupação com o sentimento de “Justiça com as próprias mãos”


fotoDurante entrevista à imprensa caicoense, da qual participou o Blog do Marcos Dantas, o Bispo da Diocese de Caicó, Dom Antônio Carlos comentou os recentes episódios violentos na cidade e região do Seridó, e o surgimento de um sentimento em boa parte da sociedade, de apoio a morte de pessoas, principalmente adolescentes envolvidos com o mundo do crime. Para o religioso, e até aceitável, num primeiro momento que alguém que tenha sido vítima da violência, pense dessa forma, mas na prática, a violência não vai resolver os problemas de segurança em nenhum local do mundo.

Eu entendo que quem se sente ameaçado pela violência, quem foi assaltado, quem teve a sua casa invadida, essa é a primeira reação, de você pensar nisso. Mas a gente sabe que não se resolve por isso. Todos os grupos de justiceiros depois viram grupos de bandidos. Eu nunca vi nenhum grupo de justiceiro, que amanhã não se tornasse um comando. Nós temos as milícias no Rio de Janeiro, que começaram como justiceiros e hoje estão num poder paralelo. Nós temos uma paroquia no Rio de Janeiro que você não sabe se tem mais medo da milícia ou dos marginais. E a milícia muitas vezes são policiais aposentados que estão ali por trás”, explicou.

Ao ser indagado pelo Blog, o bispo lamentou que grande parte dos envolvidos em crimes sejam jovens, e levados a este universo pelas drogas. Para refletir sobre o risco do apoio da sociedade ao uso da violência contra os envolvidos no mundo do crime, o bispo convidou para que cada um se colocasse no lugar das famílias dos criminosos.

Eu quero saber se uma pessoa que defende isso, se ela vai defender isso quando acontecer na sua família. Quando for seu filho, seu sobrinho, seu neto. Porque a gente fala, pensando nos outros. E nenhuma Família está isenta. Eu digo que as drogas não têm preconceito e entram em todas as classes sociais. Quando eu trabalhei na Cidade de Deus, eu vi as drogas por causa da miséria. Quando trabalhei em Pirassununga, uma região mais nobre, vi as drogas na classe média, e em Itajubá, vi as drogas no mundo universitário. Não tenhamos ilusão, mesmo vindo de famílias muito bem formadas, existe uma coisa que transcende o universo da Família, e eu quero saber se essa regra vale quando isso acontecer com um ente querido nosso”, finalizou.

Ouçam o bispo sobre o assunto:

Para Geraldo Wanderley, não é matando “bandido” que violência será reduzida


geraldo_wanderley1Para Geraldo Wanderley, é um equívoco a sociedade adotar o discurso de que é preciso fazer Justiça com as próprias mãos, e que “bandido bom é bandido morto”. “A população tem que se indignar, mas tem que entender o que é isso, tem que procurar e perguntar porque isso acontece, para sabendo porque isso acontece, buscar os caminhos e forçar o Estado a definir políticas adequadas para investir na redução da violência”, explicou.

De acordo com ele, o Brasil é o país que mais mata pessoas que a sociedade intitula de bandidos, que na sua opinião são jovens que estão entrando no crime por várias razoes, por falta de cuidado do Estado, da Família e da sociedade. Para sustentar sua defesa, Wanderley usou alguns dados estatísticos, durante a entrevista que concedeu ao Blog do Marcos Dantas nesta manhã de sexta-feira (30).

“Dos 50 mil homicídios no Brasil, de acordo com as últimas estatísticas, 28 mil são jovens de até 28 anos. E desses jovens, cerca de 75% são negros ou pardos. Essa violência tem um endereço, e uma pecha de discriminação. Temos mais de meio milhão de pessoas presas no sistema prisional, aprendendo num sistema terrivelmente desumano, que é onde eles aprendem a ser mais violentos, e depois volta para a sociedade para fazer crimes mais violentos. Nós temos hoje mais de 20 mil adolescentes presos no Brasil, 40 mil cumprindo medidas socioeducativas abertas, e somos o país que mais mata jovens no mundo, somos o país que mais prende, embora sejamos o quarto mais no mundo em população prisional, mas nós não vemos a baixa da violência. Então precisamos mudar as estratégias, está tudo errado”.

 Ouça Geraldo Wanderley:

Diretores do SESC reconhecem importância do apoio da Prefeitura para o Dia do Desafio em Caicó


Diretores do SESC, Jorge e Jeanne com o prefeito Roberto

Diretores do SESC, Jorge e Jeanne com o prefeito Roberto

A Prefeitura de Caicó recebeu o reconhecimento do SESC/RN da importância do apoio dado a realização do Dia do Desafio, que durante toda esta quarta-feira (28) movimento a cidade, com a realização de atividades físicas. Caicó é bicampeã na competição e neste ano enfrentou a cidade de Cajicá (Colômbia).

O reconhecimento à Prefeitura foi feito pela diretora estadual do SESC, Jeanne Amaral e pelo diretor da unidade local, Jorge Araújo durante visita ao prefeito Roberto Germano, nesta quarta. “Quando nós unimos nossas forças, o que faríamos é triplicado. Este ano, o apoio da prefeitura de Caicó foi essencial, é o terceiro ano que o Dia do Desafio acontece em Caicó, uma cidade bicampeã, e esse apoio, a soma de esforços contribuirá para o tricampeonato”, explicou.

Jeanne acredita que a exemplo dos anos anteriores, Caicó vestiu a camisa no Dia do Desafio. “Nossa expectativa é que superemos a meta. O SESC investiu muito mais este ano na sensibilização das pessoas, para combater o sedentarismo, e termos uma população mais saudável”. Em 2013, 58% da população caicoense participou do Dia do Desafio.

Ouça Jeanne Amaral:

Roberto Germano destaca importância que Feira de Negócios terá na geração de renda em Caicó


DSC01669

O prefeito Roberto Germano (PMDB) participou na noite desta terça-feira (28), do lançamento da I Feira de Negócios de Caicó. O evento foi na Casa do Empresário e contou com representantes das entidades empresariais, Fecomércio, Sebrae, Sesc, Senai, Governo do Estado, dentre outros segmentos. A Prefeitura é um dos principais parceiros da Feira, que em seu retorno prometer trazer várias novidades para o público.

Para Germano, a Feira que nasceu com a idéia de ser voltada para Caicó tem tudo para se transformar em mais uma feira de negócios para toda a região do Seridó. “Vimos a necessidade de resgatar essa feira para trazermos empresários e pessoas que possam fazer negócios. O objetivo é dar uma cara nova para que sejam realizados negócios dentro da própria feira, já que as dos anos anteriores serviam mais de exposições”, explicou.

Dentre as novidades anunciadas no lançamento, a Ilha de Sant’Ana que é o local que sediará o evento será quase 100% preenchida com espaços temáticos da Feira, desde feirões de veículos, estandes para vendas de produtos variados, a salas de negociações entre produtores e compradores. “A Prefeitura apoia toda e qualquer iniciativa que gere negócios e aqueça a economia de Caicó”, finalizou Roberto Germano.

Ouça Roberto Germano:

“Caicó ganhou um pastor digno”, diz dom Fernando Panico, bispo de Crato


Panico em entrevista ao Blog - Foto: Ilmo Gomes

Panico em entrevista ao Blog – Foto: Ilmo Gomes

Com a ordenação de Dom Maristelo no último sábado (10) em São Gonçalo (RJ), a congregação dos Missionários do Sagrado Coração de Jesus ganhou seu quarto bispo no Brasil. Além dele, ainda integram a lista Dom Ricardo Paglia (bispo emérito da Diocese de Pinheiro, no Maranhão), Dom Agenor (Bispo Auxiliar de Porto Alegre) e Dom Fernando Panico (Bispo da Diocese de Crato, no Ceará).

Em entrevista ao Blog do Marcos Dantas, Dom Panico que confirmou sua presença na posse do colega Maristelo, no dia 24 deste mês em Caicó, falou da alegria de ter contribuído, como pregador do retiro que certamente serviu de inspiração vocacional para o ainda seminarista Antônio Carlos, ainda nos anos de sua formação.

Ao falar da expectativa de como será a missão de Dom Maristelo à frente da Diocese de Caicó, Dom Fernando Panico não poupou elogios ao colega de congregação. “A vocês de Caicó eu digo parabéns. Vocês ganharam tem um bispo digno, um bispo que certamente será um bom pastor no meio de vocês. Vocês irão, como diz no Nordeste, adorar”.

Ouça Dom Fernando:

 

“Aqui no Rio de Janeiro ele sempre será chamado de Dom Maristelo”, diz irmã que inspirou apelido do bispo


Dom Antônio com as vestimentas tradicionais de um bispo - Foto: Ilmo Gomes

Dom Antônio com as vestimentas tradicionais de um bispo – Foto: Ilmo Gomes

Familiares de Dom Antônio Carlos, principalmente seu pai, sua irmã Maristela e sobrinhos fizeram questão de participar de sua ordenação episcopal. Por sinal, foi sua irmã a inspiração para o apelido pelo qual o futuro bispo de Caicó é chamado em todo o Rio de Janeiro, e pelos seus colegas de província. Os dois entraram juntos no movimento de Juventude da Paróquia de Alcântara, e como ela se chama Maristela, lhe deram o nome de Maristelo.

Ao Blog do Marcos Dantas, Maristela reconheceu não ter idéia se em Caicó, seu irmão permanecerá com o nome de Dom Maristelo, mas no Rio de Janeiro dificilmente algum paroquiano lhe cumprimentará de outra forma. Durante a cerimônia, muitas das referencias feitas ao novo bispo foi como Maristelo.

Ouça a irmã do bispo: 

Dom Ricardo Paglia se emociona ao ordenar bispo o mesmo padre por ele ordenado


ordenacaomaristelo_dom fernandopaglia

Dom Ricardo ordenou Antonio por duas vezes (padre e bispo) – Foto: Ilmo Gomes

Ninguém conhece mais a trajetória religiosa do novo bispo da Diocese de Caicó, do que Dom Ricardo Pedro Paglia, Bispo Emérito de Pinheiro, no Maranhão. Foi ele que ordenou padre, o jovem seminarista Antônio Carlos Cruz Santos, e para a sua alegria foi escolhido para ordená-lo bispo. Em entrevista ao Blog do Marcos Dantas, Dom Fernando falou da alegria de ordenar, pela primeira vez em sua vida um bispo. Para quem já ordenou mais de 70 padres, não foi fácil segurar a emoção.

Tenho certeza que a Igreja de Caicó receberá um grande pastor, comprometido com a causa dos mais simples. Sem dúvida, o senhor estará ao lado das ovelhas, nos momentos fáceis e difíceis. Assumirá a postura profética de denunciar a presença inoportuna dos mercenários que ameaçam os nossos rebanhos”, disse.

O religioso também destacou em suas palavras durante a celebração de ordenação, o lado humilde de Dom Antônio. “Se eu conheço bem, terá a humildade e a simplicidade de aprender com o povo de Deus. Como o senhor já manifestou anteriormente em contato com a Igreja de Caicó, não levará um projeto pronto, mas respeitará a caminhada e a historia do povo de Deus presente naquela Igreja particular. Se desta maneira, o senhor agirá com sabedoria, pois assim deve atuar o pastor em sua missão de enviado de Deus”.

Ouça Dom Ricardo Paglia:

Dom Jaime acredita que diocese de Caicó ganhará com a chegada de um missionário do Sagrado Coração de Jesus


ordenacaomaristelo_domjaime

Dom Jaime concelebra ordenação – Foto: Ilmo Gomes

Em entrevista ao Blog do Marcos Dantas, o ex-bispo de Caicó, hoje arcebispo de Natal dom Jaime Vieira Rocha disse acreditar que a diocese seridoense só tem a ganhar com a vinda de Dom Antônio Carlos. Ao lado do bispo da Diocese de Mossoró, dom mariano Manzano, Jaime concelebra a ordenação do religioso, na paróquia de Alcântara, em São Gonçalo. Dom Jaime acredita que a vinda de um religioso de uma congregação não existente na diocese, fortalecerá mais ainda as pastorais e conseqüentemente a evangelização na própria região.

Nós somos um estado que não se caracteriza pela presença de muitas ordens religiosas. A chegada de mais uma sempre é muito positiva, sobretudo Caicó, que não tem essa tradição de ordens religiosas, mas vivemos hoje um tempo na Igreja muito plural e aberto, e as ordens religiosas sempre se constituem numa referencia de mais apoio e abrangência no que diz respeito a partilha de dons e ministérios para a vida da Igreja”, explicou.

Ouça Dom Jaime:

João Maia reconhece que PR não pode abrir mão da representação na Câmara dos Deputados


João Maia entre o ministro Garibaldi, familiares e amigos em Caico

João Maia entre o ministro Garibaldi, familiares e amigos em Caico

Em entrevista a imprensa caicoense nesta segunda-feira (10), o presidente estadual do PR, deputado federal João Maia reconheceu, que mesmo seu nome estando sendo cogitado para integrar a chapa majoritária, junto com o PMDB, o partido que comanda em nível de Estado, não pode abrir mão de manter a vaga na Câmara dos Deputados. Maia iniciou neste final de semana uma série de reuniões com executivas municipais, e a julgar pela reunião do ultimo domingo (09), não terá nenhuma dificuldade de levar a aliança PR/PMDB/PSB/PROS, dentre outros para os municípios do Seridó.

O partido não tem condições de abrir mão de uma representação federal. Se não for eu o candidato, que seria uma candidatura natural a reeleição, nos teríamos que discutir no Núcleo Central de Decisão quem seria esse nome, que tivesse o rosto do PR, e que pudesse continuar o trabalho que temos realizado ate agora pelo Seridó, e a demais regiões do Estado”, disse.

Ouça João Maia:

“Eu creio que o PMDB dessa vez não vai precisar do meu nome”, diz Garibaldi Filho


DSC_07866Em entrevista ao Blog do Marcos Dantas nesta segunda-feira (10) quando esteve em Caicó, o ministro da Previdência, Garibaldi Filho disse ter consciência que seu partido, o PMDB não precisará de seu nome nas eleições deste ano. Garibaldi voltou a citar, como divulgamos ontem os nomes do presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves e o do empresário Fernando Bezerra, como opções do partido para a disputa pelo governo.

 

Ouça Garibaldi:

Novo Bispo de Caicó diz não ter pressa para implementar sua marca

Padre Antônio Cruz prefere antes conhecer realidade da região e aprender com os seridoenses

DSC_0757

Ainda na entrevista que concedeu ao Blog do Marcos Dantas, o futuro bispo da Diocese de Caicó, padre Antônio Carlos Cruz disse não ter pressa de implementar a sua marca, já que chega com cautela, querendo conhecer o clero, os leigos e a estrutura da Igreja do Seridó, além da realidade vivida em nossa região. “Essas coisas não tem prazo, é naturalmente. Na medida em que formos caminhando, que os meus irmãos padres, que vocês leigos forem propondo coisas, que eu for conhecendo, eu vou poder propor algumas coisas e partilhar experiência que tenho. O bispo não pode ter um espirito de príncipe, que chega e diz que é o dono. Eu quero fazer a vontade de Deus e vou aprender junto com vocês”, disse.

Na entrevista, o religioso enalteceu os ensinamentos do Papa Francisco, que tem cobrado dos padres e bispos que sejam humildes, e saiam dos altares e busquem levar o evangelho as periferias. “O Papa me escolheu pensando nisso, eu creio. Procuro ter uma vida mais simples possível, e isso não é uma invenção do Papa Francisco, e sim uma proposta do evangelho. As coisas profundas são sempre as coisas simples, e quando somos simples, aparece aquilo que é essencial. Eu creio que isso é uma proposta para toda a Igreja e pra quem está na igreja”.

Ouça Padre Antonio Carlos Cruz:

Padre Antônio Cruz: “Eu não estou trazendo uma proposta pronta. Venho aprender com vocês”


DSC_0759

O Blog do Marcos Dantas participou da primeira entrevista coletiva do padre Antônio Carlos Cruz, futuro bispo da Diocese de Caicó, em solo seridoense, nesta tarde de sábado (08) em Parelhas. Demonstrando ter a simplicidade defendida pelo Papa Francisco, o religioso disse ter ficado surpreso com a forma como foi recebido, tanto em Equador, como em Parelhas, com as igrejas lotadas de fiéis, vindo ao seu encontro.

É a segunda paróquia da diocese que estou passando, e estou surpreso, eu não esperava, pensei apenas que ia passar. Fiquei muito feliz de ter esse contato com o povo. O povo do Seridó é tipicamente nordestino, de peito e coração aberto”, explicou.

E engana-se quem acha que o novo bispo assumira a Diocese de Caicó com grandes transformações em mente. Elogios não faltaram a forma como a diocese tem sido administrador, durante sua sede vacante, pelo padre Ivanoff Pereira. Neste momento, padre Antônio mais uma se vez de veste de humildade e afirma, que em Caicó quer aprender a ser bispo.

Eu não estou trazendo uma proposta pronta. Estou chegando em uma diocese que já tem 75 anos de historia. É uma diocese madura, ficou sede vacante 1 ano e meio e caminhou normalmente. Eu venho para aprende com vocês e partilhar a experiência que tenho”, finalizou.

Ouça o Padre Antonio Cruz:

Para estimular consumo da carne de jumento, Promotor de Apodi fará almoço para autoridades


914111_424401617682925_428266852_o

Na próxima quinta-feira (13) a cidade de Apodi sediará um almoço diferente, talvez jamais realizado no Rio Grande do Norte. O prato principal para os cerca de 200 convidados será carne de jumento. A ideia surgiu do promotor de Justiça, Silvio Brito que fundou uma Entidade de Proteção, responsável pelo recolhimento de mais de 600 animais, em parceria com as Policiais Rodoviárias Federal e Estadual. Os jumentos são mantidos numa fazenda na Zona Rural de Apodi.

O churrasco surgiu como forma de estimular o consumo da carne. Em entrevista ao Blog do Marcos Dantas, Dr. Silvio Brito explicou que estudos foram feitos por pesquisadores da Universidade Federal do Semi-Arido (UFERSA), que atestaram a carne ser própria para o consumo humano. “Ela é perfeita para o consumo humano, apenas barreiras culturais impedem esse consumo. A idéia do almoço é quebrar essa barreira e mostrar para as pessoas que a carne de jumento é própria para o consumo humano”, garantiu o promotor.

“A carne de jumento é muito parecida com carne de boi, difícil de distinguir uma da outra”, diz Dr. Silvio Brito.

Antes, já foi realizado um almoço para uma quantidade menor de convidados, e o promotor garante que todos gostaram do sabor da carne de jumento. Para o da quinta-feira, dia 13 serão convidados prefeitos, criadores, promotores, professores, médicos, veterinários e diretores de presídios. “A partir dai vamos divulgar este almoço para que as pessoas fiquem sabendo e se arrisquem a experimentar a carne. A nossa ideia inicial é inserir no cardápio do sistema penitenciário, e se tudo der certo, na merenda escolar também”. E para quem for prestigiar o primeiro churrasco a base de carne de jumento do RN, na quinta-feira (13) em Apodi, o próprio promotor Silvio Brito antecipa o cardápio que será servido. “Na forma de churrasco ela fica muito gostosa, e também teremos guisado e a molho madeira”.

Ouça a entrevista do Promotor Silvio Brito ao Blog: