Apodi

“Vamos produzir de forma sustentável, consciente e lucrativa”, Maria Maguineide, do Sítio Mansidão, em Apodi


O grupo de nove mulheres da associação dos agricultores do Sítio Mansidão em Apodi trabalham com polpa de frutas. Elas plantam, colhem, processam a fruta, embalam e vendem de casa em casa, sob encomenda ou na feira. A produção é feita na associação localizada na zona rural que tem alguns equipamentos como liquidificador e freezer essencial para esse tipo de alimento. O lucro é dividido com todas.

O grupo participou do Edital de Economia Solidária, no projeto elas pediram a construção de uma mini fábrica de beneficiamento de frutas. Elas foram selecionadas e receberam do Governo do RN 318 mil na construção da fábrica e compra de equipamentos. Os recursos são do Governo Cidadão por meio do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial. A Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) é quem coordena a ação.

“A obra está 60 % pronta, a estrutura foi levantada, agora vai iniciar a parte de acabamento”, afirma Teófilo Fernandes, articulador territorial do Projeto Governo Cidadão. A variedade de frutas e a qualidade das polpas de caju, manga, tamarindo, goiaba e maracujá são um diferencial na região. As integrantes do grupo relembram a conquista. A primeira alegria foi conseguir o terreno, o agricultor Manoel do Nascimento foi sensível a causa e fez a doação.

Ao ver a obra em andamento, o grupo se emociona. “Nosso grupo hoje é um exemplo aqui e nas comunidades vizinhas. As pessoas olham e comentam. Nossa, como nove mulheres conseguiram”, diz Maguineide. As meninas são tão afinadas que parece mais uma família. “O trabalho é uma benção, aqui a gente rir, chora… `manga` das que choram. É bom demais. Vamos virar empresárias produzindo de forma sustentável, consciente e lucrativa”, finaliza.

Shows de “É o Tchan” e Jonas Esticado são investigados pelo MP em Apodi


AGORA RN: O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MP-RN), através da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Apodi, cidade distante 342km da capital Natal, abriu inquérito civil para apurar supostas irregularidades identificadas nas contratações dos shows da banda “É O Tchan” e do cantor “Jonas Esticado”, realizados durante o Carnaval de 2017 na cidade.

A denúncia foi feita ao órgão fiscalizador por uma pessoa não-identificada e tem a Prefeitura Municipal de Apodi como alvo. Na Portaria Nº 0027/2017, a 2ª Promotoria de Justiça de Apodi atribui as explicações das denúncias de irregularidades ao prefeito da cidade, Alan Silveira, que cumpre mandato desde o início deste ano.

Como medidas iniciais, o Ministério Público pediu que a Prefeitura apresente cópia do procedimento licitatório (ou termo de dispensa de licitação) utilizado para contratar as bandas, dos contratos e dos processos administrativos de empenho, liquidação e pagamento emitidos em favor dos artistas mencionados. Foi dado um prazo máximo de 10 dias para a apresentação dos documentos.

A informação da abertura do inquérito civil foi publicada na edição desta terça-feira 11 do Diário Oficial do Estado (DOE).

Convênio entre Prefeitura e CDL irá triplicar número de câmeras em Apodi a partir de agosto


A partir do mês de agosto, o município de Apodi deverá triplicar o número de câmeras do sistema de monitoramento eletrônico da cidade. Esta é a previsão da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e da Prefeitura Municipal de Apodi. O motivo é que a compra de quinze novos equipamentos já está em andamento. “Dentro de quarenta dias, as câmeras já estarão auxiliando o trabalho da polícia e garantindo uma maior sensação de segurança ao nosso povo”, destacou o prefeito Alan Silveira.

A ampliação do sistema de monitoramento foi uma proposta de campanha do atual gestor e está incluso no programa de governo. Ao todo, serão investidos cerca de R$ 77 mil através de convênio com a CDL.

“Diante a crescente onda de violência em todo o Estado, a gente reconhece o quanto este trabalho é importante para inibir e prevenir a ação de bandidos em nossa cidade”, acrescentou Alan. Atualmente, o sistema de monitoramento eletrônico conta com sete câmeras espalhadas pela zona urbana. Com a ampliação, o circuito passará a ter 22 equipamentos de alta resolução, tanto na cidade, quanto em algumas localidades da zona rural.

Prefeitura de Apodi pagou R$ 1 milhão em precatórios entre janeiro e junho


Um milhão de reais. Esse foi o valor pago pela Prefeitura Municipal de Apodi em precatórios nestes seis primeiros meses da gestão Apodi Cidade de Todos. O montante foi pago com recursos próprios.

Esta é a primeira vez na história do município em que um gestor realiza essa quantia em pagamentos de precatórios em tão pouco tempo de governo. Para o prefeito Alan Silveira, honrar com os compromissos da administração trata-se de um ato de responsabilidade.

“Estou cumprindo rigorosamente o calendário de pagamento e essa atenção direcionada para as questões administrativas faz parte de uma administração comprometida e responsável”, comentou.

Precatórios é o reconhecimento judicial de uma dívida que o ente público tem com o autor da ação, seja ele pessoa física ou jurídica.

Walter Alves destina R$ 800 mil em emendas para o município de Apodi


O deputado federal Walter Alves (PMDB) destinou ao município de Apodi, no Oeste do Rio Grande do Norte, R$ 800 mil em emendas impositivas. O anúncio foi feito durante visita ao prefeito, Alan Silveira, na tarde desta sexta-feira (05), no gabinete. De acordo com o deputado, as emendas já estão alocadas nos respectivos ministérios federais, aguardando apenas serem liberadas.

Do total, meio milhão de reais será para investimento no turismo local, enquanto que o restante, cerca de R$ 300 mil, será para ações de combate à seca, através do Departamento Nacional de Combate à Seca (DNOCS). Para o prefeito Alan, a quantia será muito bem-vinda e ajudará no desenvolvimento do município. “Nosso turismo será fortalecido e, consequentemente, todo o Apodi será beneficiado, assim como nas ações do DNOCS”, afirmou.

Justiça suspende nomeações de parentes de prefeito e vereadores de Apodi


O juiz Eduardo Neri Negreiros, da comarca de Apodi, concedeu medida liminar para suspender a eficácia do ato de nomeação que nomeou parentes de gestores públicos do Poder Executivo Municipal de Apodi. Entre os beneficiados está Maria Goreti da Silveira Pinto, mãe do prefeito Alan Jefferson da Silveira Pinto, para o cargo de Secretária Municipal de Desenvolvimento e Assistência Social.

O magistrado também suspendeu a eficácia do ato que nomeou Wellington Carlos Gama, sobrinho do vereador Francisco Antônio Gama, para o cargo de Secretário Municipal de Urbanismo e Transporte; bem como o ato que nomeou Dagmar Suassuna da Silva, mãe do vereador Antônio Ângelo de Souza Suassuna, para o cargo de Secretária Municipal da Mulher e da Igualdade Racial.

O cumprimento da decisão deverá ser comprovado nos autos no prazo de cinco dias a contar da intimação e para o caso de descumprimento da medida, foi fixada multa pecuniária pessoal ao prefeito Alan Silveira no importe de R$ 5 mil, sem prejuízo das demais sanções cabíveis (penais, civis e administrativas).

Prefeito aciona polícia após ataque de hackers aos sistemas da Prefeitura de Apodi


Após ter disso alvo de ataque com fogo no mês passado, a Prefeitura de Apodi, localizada no Oeste do Rio Grande do Norte, foi novamente alvo de criminosos nesta semana. Desta vez o ataque aconteceu pela internet. Pelo menos dois sistemas de trabalho foram “derrubados” por hackers.

A ação criminosa aconteceu na quarta-feira (26). Conhecido como “DDos ATACK” pelos profissionais da informática, a invasão hacker deixou os sistemas de tributação e da folha de pagamento indisponíveis por cerca de 16 horas seguidas.

Os sistemas só voltaram a funcionar após a empresa DH Host, prestadora do serviço, identificar a origem do ataque. Por conta do problema, não foi possível a finalização da folha de pagamento dos servidores municipais pela Secretaria de Finanças. O delegado Renato Oliveira frisou que vai investigar a fundo para que o ataque não se repita.

Investimento no monitoramento de câmeras em Apodi custará 77 mil reais


O investimento de R$ 77 mil, que será repassado pela Prefeitura de Apodi para a ampliação da rede de monitoramento eletrônico da cidade, irá contribuir de forma decisiva no aumento da segurança no município.

A quantia será usada na aquisição de novas câmeras e manutenção das já existentes. O montante será repassado através de convênio para a Câmara de Dirigentes Lojistas de Apodi (CDL). O projeto foi apreciado e aprovado pela Câmara de Vereadores na semana passada.

Processo seletivo da Prefeitura de Apodi oferta 129 vagas com salários de até R$ 17 mil


A Prefeitura de Apodi lançou quatro editais de Processo Seletivo Simplificado para seleção de vagas e contratação temporária de 129 profissionais nas secretarias de Agricultura, Saúde, Assistência Social e Educação. O objetivo é suprir carências de natureza temporária. Os salários variam de R$ 937,00 a R$ 17 mil. As vagas são para cargos diversos, como motoristas, médicos, agentes comunitários, digitadores, educador físico, veterinários, auxiliar de serviços diversos, entre outros.

As inscrições acontecem no período de 05 a 07 de abril de 2017, no Centro do Idoso Flor da Idade, localizado à Rua Antônio Lopes Filho, por trás do CDP de Apodi, no horário de 8h às 12h. Será pago uma taxa, que varia entre R$ 30 e R$ 80, dependendo do nível.

O processo seletivo é válido por dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois anos.O resultado do processo seletivo será divulgado no site e redes sociais da Prefeitura Municipal de Apodi, no Diário Oficial do Município e nas secretarias envolvidas.

Confira os editais
EducaçãoSaúdeAssistência SocialAgricultura

Prefeito de Apodi solicita transformação de Companhia em Batalhão da PM


O prefeito de Apodi, Alan Silveira viajou até Natal, nesta quarta-feira (22), para tentar buscar investimentos na segurança e garantir uma maior tranquilidade aos moradores.

Na companhia do deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB), Alan se reuniu com o coronel André Azevedo, comandante Geral da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, e pediu mais atenção para Apodi.

O prefeito reivindicou a transformação da atual 2ª Companhia de PM, existente em Apodi, em um Batalhão da Polícia Militar. O objetivo é promover mais independência das ações, com recursos próprios e com mais investimentos diretos. Além disso, o prefeito quer incluir Apodi dentro do sistema integrado nas Unidades de Monitoramento que estão sendo elaboradas pelo Estado.

Governo do RN anuncia investimentos para o Sertão do Apodi


A secretária do Trabalho da Habitação e da Assistência Social, Julianne Faria assinou nesta sexta-feira (24), os contratos e ordens de serviços das obras dos subprojetos de inclusão produtiva e acesso à água dos beneficiários dos subprojetos do Governo do Estado nos municípios de Campo Grande, Paraú, Upanema, Caraúbas, Olho D´água dos Borges, Felipe Guerra e Governador Dix-Sept- Rosado.

A agenda foi cumprida no município de Campo Grande pela manhã e em Caraúbas no período da tarde. Os investimentos são para perfuração e instalação de poço, construção de reservatório, construção de mini adutora e construção de passagens molhada com barragem submersa, construção de espaço de comercialização dos produtos da agricultura familiar, além da aquisição de máquinas, equipamentos e veículos para facilitar a logística de comercialização.

“O Rio Grande do Norte enfrenta cinco anos de seca, uma das preocupações do Governo é proporcionar apoio para aqueles que vivem no campo. Estamos assinando essas ordens de serviços para viabilizar uma vida melhor para todos vocês”, disse Julianne.

Em sua fala, a secretária anunciou ainda que o território do Sertão do Apodi vai ganhar um nova Central do Cidadão. “A nova Central vai ser construída em terreno do Estado em Caraúbas”, destacou.

Para agricultora Maria Dilvânia, de Caraúbas, o sonho de ter uma cozinha comunitária está próximo. “As chuvas estão vindo, já podemos sentir o cheiro de água. Com esse dinheiro vamos fazer uma mini adutora e construir nossa cozinha comunitária. Nosso sonho está sendo realizado”, falou.

O secretário de Metas e Projetos, Vagner Araújo acompanhou toda a agenda e lembrou que os investimentos do Governo do RN em educação, saúde, segurança e assistência social no Sertão do Apodi supera 30 milhões. Os recursos são do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.

Nos dois municípios houve ainda a entrega dos equipamentos de TI aos Conselhos de Desenvolvimento Solidário e Sustentável.

Prefeitura e CDL estudam ampliar monitoramento por câmeras em Apodi


O prefeito, Alan Silveira (PMDB) e a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Apodi querem ampliar o sistema de monitoramento por câmeras para todo o município, inclusive para a zona rural. O assunto foi debatido em reunião nesta segunda-feira (16) na sede da CDL.

Durante a reunião, além de garantir a continuidade da parceria com o CDL, o prefeito solicitou ao técnico do sistema um estudo sobre a instalação de câmeras em outras áreas da zona urbana e comunidades rurais, como Melancias e Soledade.

Atualmente, o sistema de monitoramento conta com sete câmeras espalhadas na entradas e saídas da cidade, e no Centro comercial. De acordo com o presidente do CDL Apodi, Givanildo Batista, a renovação do convênio com a prefeitura tem fundamental importância para garantir mais segurança ao município.

Justiça suspende efeitos de Ato Legislativo que cassou mandato do prefeito de Apodi


O juiz Eduardo Neri Negreiros, determinou ao presidente da Câmara Municipal de Apodi e ao presidente da Comissão Processante do Processo Administrativo 01/2015 a imediata suspensão de todos os efeitos do Decreto-Legislativo 01/2016, que cassou o mandato do prefeito Flaviano Moreira Monteiro, até o julgamento do mérito de um Mandado de Segurança movido perante a Vara Cível da Comarca de Apodi. Com a decisão, Flaviano reassumirá o cargo.

Caso haja descumprimento da decisão liminar, o magistrado estipulou uma pena de multa pecuniária no valor de R$ 10 mil para cada um dos impetrados, sem prejuízo de eventual responsabilização penal por crime de desobediência e responsabilização civil por ato de improbidade administrativa. Por fim, determinou a notificação de José Pereira Filho, presidente da Câmara Municipal de Apodi, e Antônio Laete Oliveira de Souza, presidente da Comissão Processante do Processo Administrativo 01/2015 para dar cumprimento imediato da liminar, devendo informar o juízo sobre a sua efetivação em no máximo 72 horas; e prestarem informações nos termos do art. 7º, I da Lei nº 12.016/09, no prazo de dez dias.

 

George Soares participou do Arraiá da Suarada em Apodi


Como faz todos os anos, o deputado estadual George Soares (PR) foi a Cidade de Apodi participar do Arraiá da Suarada, organizado pela família Soares que reside e tem origens na região de Apodi.

O deputado George prestigiou o momento ao lado de seu primo, Fabio Soares, que reuniu a família, amigos e também o pré-candidato a vereador na cidade, Thiago Soares.

IMG_2081

Combustível desviado da Câmara Municipal Apodi daria para 4 voltas ao mundo


Do G1/RN – Investigações do Ministério Público revelaram desvio de R$ 35.519,41 da Câmara Municipal de Vereadores de Apodi em forma de combustível. De acordo com o MP, veículos não oficiais de vereadores e ainda carros de pessoas sem qualquer vínculo com a casa legislativa eram abastecidos em um posto da cidade e a conta era paga pela Câmara. Somente no ano de 2013, segundo as investigações, a Câmara Municipal de Apodi adquiriu aproximadamente 13 mil litros de combustíveis. “Se todo esse combustível tivesse sido usado apenas no veículo oficial, seria suficiente para rodar mais de 150 mil km apenas no ano de 2013 (quase quatro voltas ao redor da Terra)“, diz a denúncia do MP.

O MP denunciou quatro vereadores, um empresário, três funcionários públicos e dois advogados por suspeita de envolvimento com os desvios. A operação denonimada “Apóstolos” foi deflagrada no dia 26 de janeiro deste ano e prendeu nove pessoas. Dentre elas, o presidente da Câmara Municipal, vereador João Evangelista de Menezes Filho (PR). O vereador foi solto nesta segunda-feira (28) após decidir colaborar com as investigações e confessar o crime. Os outros presos também já foram soltos.

Juiz solta ex-presidente da Câmara Municipal de Apodi


Do G1 – Suspeito de crime de peculato (desvio de dinheiro público), foi solto na tarde desta segunda-feira (28) o ex-presidente da Câmara dos Vereadores de Apodi, João Evangelista de Menezes Filho. João, que estava encarcerado no Centro de Detenção Provisória da cidade, havia sido preso em janeiro deste ano durante a operação ‘Apóstolo’, investigação do Ministério Público Estadual que apura um suposto pagamento de despesas particulares de combustíveis mediante recursos provenientes da própria Câmara.

O alvará de soltura foi assinado pelo juiz Renato Vasconcelos Magalhães, que acatou pedido de revogação de prisão feito pelo promotor Sílvio Brito. A decisão foi publicada no site do TJ. “O réu decidiu colaborar com as investigações e confessou o crime. Ele agora vai aguardar o julgamento em liberdade“, disse o promotor ao G1. Ainda de acordo com Brito, a denúncia contra o ex-presidente da Câmara de Apodi concluída e remetida à Justiça na última terça-feira (22).

Alem de ser afastado do mandato, vereador Evangelista está proibido de freqüentar Câmara Municipal de Apodi


A juíza Ana Clarisse Arruda Pereira determinou no dia 02 deste mês o afastamento do vereador João Evangelista de Menezes Filho, do mandato que exercia como vereador na cidade de Apodi. Evangelista permanece preso, acusado de praticar improbidade administrativa, usando das atribuições de presidir a Câmara Municipal.

Pela decisão, Evangelista também está proibido de freqüentar a Câmara Municipal de Apodi, em especial o gabinete da Presidência. Em seu lugar, assume o primeiro suplente Hélio da Ambulância durante sessão nesta quinta feira (18).

Conheça os demais detidos na Operação Apóstolo em Apodi


Além do presidente da Câmara Municipal de Apodi, João Evangelista de Menezes Filho, outras oito pessoas foram detidas na Operação Apóstolo, deflagrada pelo Ministério Público nesta terça-feira (26) em Apodi. São eles: Franciele Fernanda Barbosa de Morais, Francisco Tibério Lopes Medeiros, João Paulo de Oliveira, Paulo Henrique de Oliveira, Mozaniel de Souza Vieira, Laerton Clayton Jales Targino, Alderi Rodrigues Vieira Sobrinho e Margônia de Lima Chaves. Todos os presos estão à disposição da Justiça em celas do Centro de Detenção Provisória Agente Ronilson Alves da Silva, em Apodi.

O que pesou para a prisão do presidente da Câmara Municipal de Apodi, João Evangelista de Menezes Filho, durante a Operação Apóstolo na manhã desta terça-feira (26)? Investigado há nove meses pelo Ministério Público por desvios de recursos públicos da Câmara Municipal, principalmente em compras de combustíveis, Evangelista teria aproveitando-se da condição de agente público (vereador e presidente da Câmara Municipal) e da sua liberdade, tentou frustrar o decorrer das investigações deflagradas, ao ordenar que Servidores da Contadoria da Câmara de Vereadores destruíssem diversos “cupons de abastecimento”, os quais seriam imprescindíveis à identificação dos verdadeiros beneficiários dos combustíveis pagos pela Câmara Municipal e, claro, à condução das investigações.

Como se isso não bastasse, o Ministério Público aduz, ainda, que as conversas interceptadas teriam demonstrado que o investigado João Evangelista interferiu diretamente no depoimento das testemunhas que seriam ouvidas naquele Órgão Ministerial, direcionando-as a mentir e/ou a omitir fatos que pudessem comprometê-lo, o que de fato teria vindo a acontecer posteriormente, tornando necessária, portanto, a segregação cautelar de João Evangelista, bem como de 08 frentistas do Posto de Combustíveis Gonzaga Melo que teriam praticado falso testemunho, com o intuito de garantir o bom e regular andamento da instrução criminal.

MP diz que presidente da Câmara Municipal de Apodi tentou intimidar testemunhas durante a investigação


EVANGELISTA 05

Uma operação com apoio das Polícias Civil e Militar de Apodi cumpriu, na manhã desta terça-feira (26), nove mandados de prisão preventiva expedidos pela Juíza de Direito Ana Clarisse Arruda Pereira contra o vereador João Evangelista de Menezes Filho e outras oito pessoas, atendendo pedido do Ministério Público. Participam das investigações oito Promotores de Justiça. João Evangelista de Menezes, que é presidente da Câmara de Vereadores de Apodi, já vinha sendo investigado criminalmente pelo GARPP (Grupo de Atuação Regional de Defesa do Patrimônio Público), GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate à Criminalidade Organizada) e pela Promotoria de Justiça da Comarca de Apodi há mais de nove meses, por suspeita de desvio de recursos públicos da Casa Legislativa.

No curso das investigações da operação, denominada Apóstolo, interceptações telefônicas realizadas com autorização judicial mostraram uma intensa articulação do presidente da Câmara no intuito de intimidar testemunhas e assim interferir no conteúdo dos seus depoimentos, além de ter destruído documentos que interessavam às investigações. Diante dessas circunstâncias, não restou ao Ministério Público outra alternativa senão requerer a custódia cautelar do investigado e de outras oito pessoas, que vinham tentando inviabilizar as investigações. Os elementos de prova até agora colhidos apontam para a prática dos crimes de peculato, extravio de documentos públicos, falsidade ideológica e uso de documentos falsos, associação criminosa, denunciação caluniosa, usurpação de função pública e falso testemunho, cujo somatório das penas pode chegar a até 47 anos de prisão.

Presidente da Câmara Municipal de Apodi é preso Operação Apóstolo


O Ministério Público prendeu nove pessoas em Apodi, durante a Operação Apóstolo. Dentre os presos está o presidente da Câmara Municipal, João Evangelista de Menezes Filho, suspeito de desvio de recursos públicos. Os mandados de prisão preventiva foram por tentativa de prejudicar as investigações conduzidas pelo MP.