Marcos Dantas

Audiência trata questão da microcefalia em crianças no RN


O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) debateu na manhã desta segunda-feira (31) o diagnóstico e o atendimento a crianças com microcefalia. Além de receberem orientação sobre a assistência imediata para essas crianças nas redes de atenção à saúde no Estado, os pais também puderam relatar as dificuldades enfrentadas para assegurarem os cuidados básicos necessários que o quadro de microcefalia exige.

A audiência ocorreu no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), em Natal, com transmissão simultânea para servidores e membros do MPRN e contou com a presença de cerca de 120 interessados, em sua maioria pais de crianças com microcefalia.

O evento foi promovido pelas 9ª, 48ª e 62ª Promotoria de Justiça e contou com exposições das Promotoras de Justiça (Rebecca Nunes, Elaine Cardoso e Kalina Filgueira) e da pediatra e representante da Maternidade Escola Januário Cicco Nívea Maria Rodrigues Arrais, da Coordenadora da rede de Cuidados da Pessoa com Deficiência (CERHRN), Antônia Célia Sales Melo, da diretora do Departamento de Atenção Especializada – Secretaria Municipal de Saúde de Natal, Renata Silva Santos e da representante da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), Ana Isabel Cavalcanti Silva.

“É uma situação preocupante no nosso Estado. É preciso que a rede de saúde esteja preparada para o atendimento a essas crianças, principalmente no que diz respeito à estimulação precoce que tem que ser feita massivamente até o terceiro ano de vida, para dar chances de mais autonomia a elas. Sabemos que até essa idade as crianças estão mais acessíveis aos estímulos”, destacou a 9ª promotora de justiça de Natal (defesa da Pessoa com Deficiência), Rebecca Nunes, que presidiu audiência e reforçou que ato ainda teve como propósito instruir inquéritos civis instaurados nas três Promotorias de Justiça da Capital e contou com a presença de Promotores de Justiça do interior do Estado.