Marcos Dantas

Abstenção e votos em branco e nulos batem recorde e representam 41,5% do eleitorado do Rio


Na cidade do Rio, 2,034 milhões de eleitores não escolheram qualquer um dos Marcelos que disputaram a prefeitura — considerando abstenções e votos nulos ou em branco —, o que representa 41,5% dos moradores aptos a votar. O número é superior ao 1,7 milhão de votos conquistados pelo prefeito eleito, Marcelo Crivella (PRB), e também à média nacional, de 32,6%.

Tanto o não comparecimento às urnas quanto a participação de eleitores que votaram em branco ou nulo atingiram níveis inéditos, em comparação às últimas eleições municipais. Nos dois turnos desta eleição municipal, o Rio registrou as maiores taxas entre as capitais brasileiras.

No domingo (30), a abstenção somou 26,85%, o que corresponde a 1,3 milhão de eleitores, número superior ao de votos recebidos pelo candidato derrotado Marcelo Freixo (PSOL). A média nacional foi de 21,5%. No primeiro turno, o não comparecimento no Rio foi de 24,3%. Em 2008, último ano em que houve segundo turno na cidade, atingiu 20,24%.

Também houve alta de eleitores que anularam ou votaram em branco. Eles somaram 719,4 mil, 20% dos que compareceram às urnas. No primeiro turno, eram 18,26%, enquanto no segundo turno de 2008 representavam apenas 8,6% do total.